Última hora

Última hora

Em leitura:

Sydney celebra os anos 50


Cult

Sydney celebra os anos 50

Os anos 50 deixaram ícones como James Dean e Marilyn Monroe. Mas também legaram um ideário que se refletiu na moda, no design e no estilo de vida. A cidade australiana de Sydney celebra há duas décadas a época dourada da cultura popular americana num evento que se tornou bastante concorrido. Apesar do brilho dos anos 50, a escritora e embaixadora nacional da UNICEF Tara Moss, não se deixa ofuscar:

“Um nostálgico do tipo restaurador desejaria viver nos anos 50, desejaria que a vida decorresse autenticamente como nos anos 50 porque acredita que eram tempos melhores. Já uma nostálgica refletiva como eu não acredita que aqueles tempos eram melhores. Eu não vejo a política ou os problemas sociais daqueles tempos com uns óculos cor-de-rosa, no entanto vejo muitas coisas de que gosto naqueles anos.”

A Rose Seidler House, construída na época, alberga a Sydney Fifties Fair. A casa-museu de estilo Bauhaus foi projetada pelo arquiteto Harry Seidler. A construção destinada aos seus pais era bastante arrojada para os padrões da época e tornou-se na altura num ferveroso tópico de discussão na maior cidade australiana. Mas a importância desta casa não se resume ao design exterior, como explica a curadora, Jo Nicholls:

“Tem uma coleção de mobiliário e de acessórios que datam do tempo em que a casa foi construída, entre 1948 e 1950. Entres os meus favoritos está uma coleção de cadeiras Eames que foram compradas por Harry Seidler em Nova Iorque antes de ele vir para cá para desenhar a casa para os pais, Max e Rose.”

Entre os fãs dos anos 50 há quem assuma este look no quotidiano.

“Eu adoro as cores e a feminilidade. Acho que as mulheres nos anos 50 se pareciam com mulheres. E tenho de admitir que adoro saiotes. Tenho sempre um saiote. Sou professora primária mas vou sempre trabalhar de saiote e saltos altos” – confessa Laura Jane Aulsebrook.

O evento nostálgico celebra-se há 21 anos, no mês de agosto. O sucesso da concentração levou ao surgimento de feiras semelhantes no resto do país.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Ópera em trânsito no metro de Buenos Aires

Cult

Ópera em trânsito no metro de Buenos Aires