Última hora

A Al-Qaida ainda existe?

A euronews falou com o antigo embaixador do Iraque na Liga Árabe sobre o presente da organização de Bin Laden.

Em leitura:

A Al-Qaida ainda existe?

Tamanho do texto Aa Aa

Com Aissa Boukanoun

allviews Created with Sketch. Point of view

"Todos os atuais grupos islamitas são guiados pelas regras ditadas por Osama Bin Laden."

Qais al-Azzawi Ex-embaixador do Iraque na Liga Árabe

15 anos depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 e mais de seis anos desde que Osama Ben Laden foi morto por um grupo de forças especiais americanas no Paquistão, que resta da Al-Qaida?

Aquela que já foi a organização terrorista mais temida em todo o mundo, antes do surgimento do Daesh, está agora dividida em várias fações, muitas delas adormecidas.

A euronews pediu a Qais al-Azzawi, antigo embaixador do Iraque na Liga Árabe, para nos explicar: “Com certeza que a Al-Qaida ainda existe. O chefe é Ayman al-Zawahiri, sucessor de Bin Laden, e o vice-presidente é Ahmed Abou Elkheir. Está sediada perto da fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão e mantém-se em contacto com as várias fações, seja na Arábia Saudita, nos países do Magrebe, na África Central ou no Iémen”.

A Al-Qaida foi fundada em 1987 por guerrilheiros então apoiados pelos Estados Unidos, durante a primeira guerra do Afeganistão contra a ocupação soviética.

A organização só se deu a conhecer mais de dez anos depois, em 1998, com os atentados nas embaixadas americanas no Quénia e na Tanzânia. Depois do 11 de setembro, a onda de atentados não parou e estendeu-se à Europa: Casablanca em 2003, Madrid em 2004 e Londres em 2005. Em 2015, os atentados em Paris contra o jornal Charlie Hebdo e um supermercado judeu foram reivindicados pelo ramo da Al-Qaida no Iémen.

As intervenções militares americanas e a morte de Bin Laden não apagaram a herança do pai espiritual da Al-Qaida, uma herança reclamada também pelo Daesh: “Neste momento, o maior inimigo da Al-Qaida é o Daesh, que nasceu de uma revolta no seio da organização. Os grupos terroristas como a Al-Qaida, o Daesh, a Al-Nosra, o Boko Haram ou o próprio líder do Daesh, Al-Baghdadi, são guiados pelas regras ditadas por Osama Bin Laden. Podem estar em desacordo com Ayman al-Zawahiri, mas respeitam a figura do pai espiritual Bin Laden”, acrescenta Qais al-Azzawi.

Ayman al-Zawahiri, o novo líder da Al-Qaida, limita-se agora a fazer declarações, sem haver ações terroristas com a assinatura da organização. Tanto o Daesh como os ramos da Al-Qaida agora existentes, como a Al-Qaida no Magrebe Islâmico ou a Al-Qaida na Península Arábica dizem-se independentes e obedecem às ordens dos líderes locais.