Última hora

Ryanair reduz voos na Grécia

A euronews entrevistou em exclusivo o diretor comercial da low-cost irlandesa.

Em leitura:

Ryanair reduz voos na Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

Com Symela Touchtidou, em Atenas

allviews Created with Sketch. Point of view

"Já escrevemos mais de 20 vezes, não só a este governo, como ao governo anterior (...) Nunca nos responderam. Por isso, decidimos não perder tempo."

David O'Brien Diretor comercial da Ryanair

A Ryanair vai reduzir e mesmo eliminar algumas rotas na Grécia, depois do anúncio das novas medidas fiscais, que incluem impostos sobre os arrendamentos particulares e a subida no IVA em algumas ilhas que tinham, até agora, um estatuto especial.

A euronews entrevistou em exclusivo o diretor comercial da Ryanair, David O’Brien. A low-cost irlandesa queixa-se, sobretudo, das taxas aeroportuárias demasiado altas no aeroporto de Atenas: “O problema principal são taxas aeroportuárias na Grécia. Já escrevemos mais de 20 vezes, não só a este governo, como ao governo anterior. Têm todo o direito de discordar de nós, mas a verdade é que nunca nos responderam. Por isso, decidimos não perder tempo”, disse.

O’Brien diz que a frequentação do aeroporto de Atenas está abaixo do de Dublin, por culpa das taxas altas, sendo que a capital grega tem potencial para receber muito mais turistas.

Das ilhas, a mais afetada pelos cortes da Ryanair é Kos, com vários voos suprimidos. A companhia desistiu também de alargar a época de certos voos sazonais para as ilhas gregas.