Última hora

Última hora

Argentina: manifestação de milhares por justiça para vítimas de crimes

“Para que não te aconteça”, foi o lema em espanhol gritado frente ao Parlamento argentino esta segunda feira.

Em leitura:

Argentina: manifestação de milhares por justiça para vítimas de crimes

Tamanho do texto Aa Aa

“Para que não te aconteça”, foi o lema em espanhol gritado frente ao Parlamento argentino esta segunda feira.

Justiça, foi o que pediram cerca de 5 mil pessoas unidas pela perda de um familiar em crimes que atemorizam cada vez mais a população e que são vistos como uma onda crescente de insegurança.

Foi expressamente pedido pela organização, que se compunha também ela de familiares de vítimas, que os manifestantes não ostentassem símbolos políticos ou partidários.

As primeiras estatísticas de crime dos últimos oito anos foram publicadas a 25 de Abril deste ano e mostram um aumento de 10%, no total, da taxa dos vários crimes analisados, desde 2008.

Nilda Gomez, mãe de uma vítima de homicídio, dizia: “É fácil matar e é barato porque se entra e se sai da prisão. É apenas um trâmite.”

Andrea Ferrera, outra mãe com a mesma dor de perda, acrescentava: “O culpado, quem disparou a matar, era um menor e está livre. Precisamos de uma redução na impunidade de menores, uma aplicação efectiva das sentenças, porque o processo judicial é muito longo. Devíamos estar recolhidas em luto e temos de nos manifestar apesar da nossa dor.”

Ao pedido ouvido em Buenos Aires para o efectivo cumprimento da lei, juntaram-se manifestações em Mar del Plata, Rosario, Bahía Blanca e Mendoza.

O Presidente Mauricio Macri anunciou ontem também a assinatura de um acordo para agregar estatísticas judiciais oficiais sobre crimes e progresso dos processos, que estará disponível online, e apelou aos agentes do sector judicial para que o modernizassem, sem medo da transparência necessária a uma avaliação pública.