Última hora

Última hora

Fórmula 1: Ron Dennis "empurrado" para fora da liderança da McLaren

O inglês, de 69 anos, estava há 35 â frente da escuderia britânica, onde festejou 10 títulos mundiais de pilotos ao lado de lendas como Ayrton Senna, Alain Prost ou Niki Lauda.

Em leitura:

Fórmula 1: Ron Dennis "empurrado" para fora da liderança da McLaren

Tamanho do texto Aa Aa

Ron Dennis já não é o ‘patrão’ da McLaren. O fim da linha, anunciado em comunicado pelo McLaren Technology Group após 35 anos de liderança da escuderia pelo inglês, acontece por imposição dos restantes acionistas do grupo, o fundo de investimento do Bahrein Mumtalakat e antigo parceiro e amigo de Dennis, Mansour Ojjeh, também diretor excecutivo da TAG.

Point of view

O meu estilo de gestão é o mesmo que permitiu à McLaren vencer 20 campeonatos do mundo de Fórmula 1 e crescer para um negócio de 850 milhões de libras anuais.

Ron Dennis Ex-patrão da McLaren

Dennis, de 69 anos, recebeu um ultimato por parte dos acionistas numa reunião realizada esta terça-feira. O fundo Mumtalakat e Mansour Ojjeh exigiram a demissão de Ron Dennis do cargo de presidente do Conselho de Administração e de diretor geral.

“A partir desta tarde (terça-feira, 15 de novembro), Ron Dennis já não detém a posição de diretor geral (CEO) do McLaren Technology Group — nem das respetivas subsidiárias. No entanto, ele continua a ser acionista e diretor do McLaren Technology Group”, lê-se no comunicado oficial do grupo.

Rond Dennis manifestou-se igualmente através de um comunicado e mostrou-se “desapontado com os representantes da TAG e da Mumtalakat”, que “forçaram esta decisão” apesar dos “fortes avisos do resto da equipa de gestão sobre potenciais consequências das ações deles no negócio.”

(O fim de uma era. Depois de 35 anos, o reino de Ron Dennis como patrão da McLaren acabou.)

“O meu estilo de gestão é o mesmo de sempre e é aquele que permitiu à McLaren tornar-se num grupo automóvel e de tecnologia vencedor de 20 campeonatos do mundo de Fórmula 1 e crescer para um negócio de 850 milhões de libras (987 milhões de euros) anuais”, destacou o até aqui líder do grupo, garantindo que as suas “principais preocupações é o negócio” que cosntruiu e “os seus 3500 empregados.”

O britânico juntou-se à McLaren em 1980 e assumiu a liderança da escuderia no ano seguinte. Desde então, liderou a escuderia em vários períodos de domínio na Fórmula 1, tornando-a na mais bem sucedida equipa da história da modalidade depois da Ferrari.

Sob a batuta de Ron Dennis, a McLaren ganhou dez títulos mundiais de pilotos, com o volante entregue a “lendas” como Niki Lauda, Alain Prost ou Ayrton Senna. Também Mika Hakkinen foi campeão com um monolugar da escuderia britânica e o último a dar um título à equipa foi Lewis Hamilton, em 2008.

A estes títulos individuais, o inglês somou ainda sete de construtores enquanto líder da escuderia.

Dennis detém 25 por cento do Grupo McLaren, com o fundo de investimento Mumtalakat a deter 50 por cento. Os restantes 25 pertencem ao seu antigo amigo e parceiro de negócios de longa data de Dennis, Mansour Ojjeh, que se aliou aos investidores do Bahrein.

(Não era o final que ele merecia.)

Texto: Lusa (AMG)
Edição: Francisco Marques