Última hora

O antigo primeiro-ministro de Itália, Matteo Renzi, quer voltar à ribalta e quer que o partido do governo, o Partido Democrático, organize um congresso antes de quaisquer eleições nacionais.

Renzi, que representa a fação democrata-cristã dentro do partido, quer assim calar as críticas internas, em especial Massimo D’Alema e a fação ex-comunista: “O meu caráter sempre me fez escolher o mar aberto e não o pântano dos equilíbrios internos com o qual nunca me dei bem. Se é isso que querem, escolham outra pessoa”, disse.

Renzi “deixou o governo em dezembro”:
http://pt.euronews.com/2016/12/05/demissao-de-renzi-levanta-questes-dentro-e-fora-de-italia, depois de um referendo à revisão constitucional, mas mantém-se líder do partido e quer voltar à chefia do governo, mas para isso precisa de ter o partido na mão. As sondagens dão-no como vencedor contra qualquer rival.