Última hora

Em leitura:

Morte do meio-irmão do líder da Coreia do Norte: quatro novos suspeitos identificados


Malásia

Morte do meio-irmão do líder da Coreia do Norte: quatro novos suspeitos identificados

Ninguém apareceu para reconhecer o corpo, não há dados sobre a autópsia, a causa da morte ainda não é conhecida, quatro pessoas foram detidas e outras quatro estão a ser procuradas. A investigação sobre a morte de Kim Jong-nam, o meio-irmão do líder da Coreia do Norte, que foi assassinado na passada segunda-feira, no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia avança de forma muito lenta.
Em conferência de imprensa este domingo, o porta-voz da polícia malaia apela a que os mais próximos a Kim Jong-nam, “sejam eles os irmãos, irmãs, filhos ou mulher, aparecem para reconhecer o corpo e assim ajudar à investigação”.

A polícia da Malásia já tinha anunciado no sábado ter detido um homem norte-coreano de 56 anos, a quarta pessoa a ser detida no âmbito da investigação ao homicídio Kim Jong-nam.

Ri Jong Chol foi o primeiro norte-coreano a ser detido por ligações ao caso. As autoridades detiveram depois uma mulher indonésia de 25 anos e o namorado malaio, para além de uma mulher compassaporte vietnamita.

Recorde-se que o meio-irmão de Kim Jong-il foi atingido na cara com um líquido não identificado no aeroporto internacional de Kuala Lumpur, quando se preparava para viajar para Macau. Acabou por morrer antes de chegar ao hospital.

Entretanto, este domingo, as autoridades da Coreia do Sul voltaram a dizer que têm todos os motivos para acreditar que o regime de Pyongyang está por detrás deste homicídio misterioso.