Última hora

Em leitura:

DJ italiano tetraplégico "escolhe" morrer na Suíça


Itália

DJ italiano tetraplégico "escolhe" morrer na Suíça

O italiano Fabiano Antoniani sofreu um acidente de automóvel, em 2014, que o deixou tetraplégico e cego.

Esta segunda-feira, e depois de uma longa batalha, morreu, numa clínica na Suíça.

Uma morte assistida à qual o DJ não teve direito em Itália, onde a Eutanásia, tal como em Portugal, é proibida.

A acompanhá-lo tinha a mãe, namorada, alguns amigos e o líder da formação Italianos Radicais:

“Esta manhã, e após um segundo exame médico, ele confirmou a sua vontade de morrer e foi ele próprio que ativou o sistema para consegui-lo, através da sua boca, um dos únicos movimentos que era capaz de fazer, desta forma tomou a substância que o fez adormecer, em poucos minutos, e fez morrer, sem sofrimento”, explicou Marco Cappato.

Quem o acompanhou, nesta última viagem, arrisca-se a pena de prisão.

Para Fabiano, de 39 anos, que queria morrer em Itália, o facto de não ter sido aprovada uma lei sobre a matéria era uma vergonha.

Desde 2009 que o direito a escolher morrer, em situações terminais, e com o aval do médico, tem sido debatido no país, mas a decisão tem sido adiada, desta vez para março.