Última hora

Em leitura:

"Carne Fraca": Bruxelas deverá expulsar do mercado europeu empresas envolvidas


Brasil

"Carne Fraca": Bruxelas deverá expulsar do mercado europeu empresas envolvidas

*Com AFP, Lusa

A operação de charme levada a cabo pelo presidente brasileiro, Michel Temer, parece não estar a dar os resultados esperados, pelo menos, até ao momento.

Temer recordou que, de quase 5 mil empresas brasileiras do setor de carne, apenas algumas dezenas estão sob suspeita, assim como o estão apenas cerca de 30 dos mais de 10 mil funcionários envolvidos na fiscalização sanitária do Brasil.

No entanto, o Chile, a China e a Coreia do Sul já anunciaram que iriam suspender a exportação de carne brasileira.


Bruxelas disse que quer certificar-se de que nenhuma das empresas envolvidas opera no mercado europeu.

O porta-voz da Comissão Europeia para a Segurança Alimentar, Enrico Brivio, explicou que a Comissão se encontra “no processo de assegurar que todas as empresas implicadas nesta fraude estão impedidas de exportar para a União Europeia.”

O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina e de frango, e o quarto no segmento de carne de porco.

No ano passado, as vendas para o estrangeiro corresponderam a 7,2% do comércio mundial do setor, ou seja, a cerca de 3,5 milhões de euros.

Operação “Carne Fraca” é a maior do género da Polícia Federal
A Polícia Federal Brasileira levou a cabo, dia 17 de março, a operação “Carne Fraca”, para desarticular uma organização criminosa de empresas alimentares que subornariam fiscais para que estes libertassem produtos sem verificarem a qualidade dos mesmos.

Segundo o portal de informação da Rede Globo, o G1, algumas empresas chegavam a alterar carne não apta para consumo em mercados internacionais.


A Polícia Federal explica, em comunidado, que “a operação detetou, que as Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura dos Estados do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam para proteger grupos empresariais, em detrimento do interesse público”.

A investigação concluiu que vários agentes públicos facilitaram a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva.

A Polícia Federal diz que esta é a maior operação realizada pela corporação em toda sua história:

  • Mais de mil agentes da Polícia Federal destacados

  • Os agentes cumprem 309 mandados judiciais

  • Pelo menos 27 desses mandados são de prisão preventiva

  • Cerca de 11 mandados correspondem a prisão temporária

  • A justiça diz que 77 são de declaração coercitiva

  • Há 194 mandatos de busca e apreensão

O jornal Folha de São Paulo diz que há executivos e funcionários das empresas BRF e JBS detidos, assim fiscais do Ministério brasileiro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


O ministro da Justiça brasileiro, Osmar Serraglio, terá sido apanhado numa escuta, mas a PF disse não ter indícios de ilegalidade na sua conduta.

Merkel: Erdogan tem "de parar" de fazer "comparações com os nazis"

Alemanha

Merkel: Erdogan tem "de parar" de fazer "comparações com os nazis"