Última hora

Em leitura:

Escócia: Primeira-ministra avança primeiras formalidades para convocação do referendo


mundo

Escócia: Primeira-ministra avança primeiras formalidades para convocação do referendo

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, pediu esta terça-feira ao Parlamento de Edimburgo que dê luz verde ao governo para acordar com Londres a convocação de um novo referendo sobre a independência da região.

A moção apresentada ao parlamento pela líder do Partido Nacional Escocês autoriza o governo da Escócia a “promover conversações com o Reino Unido sobre os termos que permitam ao parlamento escocês legislar para a convocação de um referendo”.

A moção estipula que a data mais apropriada para a convocação de uma consulta sobre a soberania da região seria “entre o outono de 2018, quando será conhecido o resultado das negociações do Brexit, e a primavera de 2019, por volta do momento quando o Reino Unido abandona a União Europeia”.

“A última data para o referendo deveria ser por volta da altura quando o Reino Unido deixa a União Europeia na primavera de 2019. É este o prazo que peço que o parlamento endosse hoje. O governo britânico não pode colocar-se como obstáculo à vontade democraticamente expressa deste parlamento.”, disse Sturgeon. “Vamos decidir do nosso futuro, que não nos pode ser imposto”.

A medida deve ser aprovada pelos votos do Partido Nacional Escocês e dos Verdes, que detêm 69 dos 129 assentos parlamentares. A autorização final estará porém nas mãos do parlamento britânico, onde a maioria pertence ao partido conservador de Theresa May, que já manifestou a oposição ao referendo escocês. Segundo May, este não é o momento certo para a Escócia realizar um segundo referendo, enquanto decorrem as negociações do Brexit, que devem começar no fim deste mês.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

França

Unidade francesa de Combate à Corrupção investiga o ministro do interior Bruno Le Roux