EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Escócia: Primeira-ministra avança primeiras formalidades para convocação do referendo

Escócia: Primeira-ministra avança primeiras formalidades para convocação do referendo
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, pediu esta terça-feira ao Parlamento de Edimburgo que dê luz verde ao governo para acordar com Londres a convocação de um novo referendo sobre a indepe

PUBLICIDADE

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, pediu esta terça-feira ao Parlamento de Edimburgo que dê luz verde ao governo para acordar com Londres a convocação de um novo referendo sobre a independência da região.

A moção apresentada ao parlamento pela líder do Partido Nacional Escocês autoriza o governo da Escócia a “promover conversações com o Reino Unido sobre os termos que permitam ao parlamento escocês legislar para a convocação de um referendo”.

A moção estipula que a data mais apropriada para a convocação de uma consulta sobre a soberania da região seria “entre o outono de 2018, quando será conhecido o resultado das negociações do Brexit, e a primavera de 2019, por volta do momento quando o Reino Unido abandona a União Europeia”.

“A última data para o referendo deveria ser por volta da altura quando o Reino Unido deixa a União Europeia na primavera de 2019. É este o prazo que peço que o parlamento endosse hoje. O governo britânico não pode colocar-se como obstáculo à vontade democraticamente expressa deste parlamento.”, disse Sturgeon. “Vamos decidir do nosso futuro, que não nos pode ser imposto”.

A medida deve ser aprovada pelos votos do Partido Nacional Escocês e dos Verdes, que detêm 69 dos 129 assentos parlamentares. A autorização final estará porém nas mãos do parlamento britânico, onde a maioria pertence ao partido conservador de Theresa May, que já manifestou a oposição ao referendo escocês. Segundo May, este não é o momento certo para a Escócia realizar um segundo referendo, enquanto decorrem as negociações do Brexit, que devem começar no fim deste mês.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chegada da seleção portuguesa deixa centenas em euforia e até houve rancho folclórico

Paris impõe estado de emergência na Nova Caledónia. Habitantes temem pela escassez de alimentos

Primeiro-ministro da Escócia demite-se