Última hora

Em leitura:

Coreia do Norte: Trump apela a aliados asiáticos para reforçar pressão e não descarta ação militar


EUA

Coreia do Norte: Trump apela a aliados asiáticos para reforçar pressão e não descarta ação militar

Donald Trump apela à Tailândia e a Singapura para se juntarem aos esforços para pressionar a Coreia do Norte e deixa a porta aberta a uma ação militar face às provocações continuadas de Pyongyang. Numa entrevista à cadeia CBS, o presidente norte-americano destacou o papel de mediador da China e sublinhou a preferência pela solução diplomática, mas deixou o aviso:

“Não ficaria contente, se voltarem a realizar um teste nuclear. E também posso dizer que não acredito que o presidente chinês, que é um homem bastante respeitado, fique contente.”

O regime de Kim Jong-Un testou no sábado um míssil de curto alcance, que explodiu pouco depois do lançamento. Questionado sobre uma eventual interferência dos Estados Unidos, Trump disse:

“É algo que não quero discutir. Penso que me conhecem bastante bem; perguntaram-se muitas vezes sobre ações militares… Eu disse: ‘Não deviamos anunciar que vamos para Mossul’. E disse: ‘Não devemos anunciar todos os nossos movimentos’. É um jogo de xadrez.”

Para além do sistema antimísseis Thaad, os Estados Unidos enviaram para a Coreia do Sul o submarino nuclear USS Michigan e o porta-aviões Carl Vinson, também de capacidade nuclear, ao mesmo tempo que Trump tem multiplicado os contactos telefónicos com aliados asiáticos para reforçar a pressão sobre Pyonyang.

França

Macron visita memoriais do Holocausto