This content is not available in your region

Centenário das Aparições: Primeira peregrinação organizada da Guiné-Bissau

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Centenário das Aparições: Primeira peregrinação organizada da Guiné-Bissau

<p>Com uma enorme bandeira vermelha, amarela e verde, perto de 100 guineenses preparam-se para acompanhar, até ao princípio da tarde de sábado, as cerimónias de Fátima, na que é a primeira peregrinação organizada na Guiné-Bissau desde a independência.</p> <p>O grupo, que chegou quinta-feira a Lisboa vindo de Bissau, pernoitou em casas de familiares na capital portuguesa, tendo chegado ao final da manhã desta sexta-feira ao recinto do Santuário de Fátima, horas antes da chegada do papa Francisco, que vai presidir às celebrações do Centenário das Aparições.</p> <p>“É a nossa fé que nos traz aqui. Precisamos de rezar pelo nosso país, pelas famílias e pelo mundo, para que haja paz e conversão”, disse à Lusa Ema Mendonça, que preside à comissão que organizou o grupo de 85 pessoas vindas de Bissau, a que se juntaram mais 10 guineenses a residir em Lisboa.</p> <p>“Não tivemos nenhum financiamento como outras peregrinações têm. Tanto que as pessoas tiveram que se albergar em casas de familiares”, cada um teve que financiar a sua viagem e a noite de hoje vai ser passada no recinto do santuário, a acompanhar as cerimónias, disse.</p> <p><img src="https://static.euronews.com/articles/36/75/367576/640x360_bonus-PeregrinosFatima.jpg" width="100%" height=auto></p></p> <p>Rezar pela Guiné-Bissau “é um imperativo”, porque precisa “estabilidade, harmonia, paz e desenvolvimento”, mas as orações do grupo guineense vão também para o mundo, que, “tal como há cem anos quando nossa senhora pediu pela conversão e a paz no mundo”, está a caminhar para a mesma “instabilidade”.</p> <p>“Vamos rezar para que se evite uma guerra mundial, para que não haja mais guerra e haja paz no mundo”, disse.</p> <p>Concentrados num dos extremos do recinto, a bandeira dos guineenses cruzou-se com a bandeira do Brasil transportada por um grupo vindo de S. Paulo, pretexto para uma animada conversa e o entoar em conjunto de cânticos religiosos.</p> <p><iframe src="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fpt.euronews%2Fvideos%2F700938570085270%2F&show_text=0&width=560" width="560" height="315" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true" allowFullScreen="true"></iframe></p></p> <p>O papa vai estar esta sexta-feira e sábado em Fátima para celebrar o centenário das “aparições” de 13 de maio de 1917 e para canonizar os beatos Francisco e Jacinta Marto.</p> <p>Francisco, que partiu de Roma às 13:12, é recebido na Base Aérea de Monte Real cerca das 16:20, onde será recebido pelo Presidente da República, primeiro-ministro e presidente da Assembleia da República, além do Núncio Apostólico, do presidente da Conferência Episcopal Portuguesa e do bispo de Leiria-Fátima.</p> <p>Jorge Mario Bergoglio é o quarto papa a visitar Fátima. Os anteriores papas que estiveram no maior templo mariano do país foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento <span class="caps">XVI</span> (2010).</p> <p><b>Texto: Lusa</b> (<span class="caps">MLL</span>)<br /> Edição: Francisco Marques</p></p>