Última hora

Portugal vence Rússia e fica com Raphaël Guerreiro em risco na Confederações

Lateral-esquerdo lesionou-se por volta dos 60 minutos do jogo e foi susbtituído com suspeita de fratura -- não confirmada no hospital.

Em leitura:

Portugal vence Rússia e fica com Raphaël Guerreiro em risco na Confederações

Tamanho do texto Aa Aa

Portugal pode ter perdido o lateral-esquerdo Raphaël Guerreiro para o resto da Taça das Confederações.

O português do Borussia de Dortmund lesionou-se quarta-feira, por volta dos 60 minutos do jogo contra a Rússia, teve de ser substituído e foi levado para o hospital com suspeita de fratura.

Já esta segunda-feira, por volta das 10:00 da manhã, hora de Lisboa, Raphaël Guerreiro recorreu à conta pessoal na rede social Instagram para esclarecer, em português e francês, a respetiva lesão.

“Tenho uma fratura, mas é de há mais de três meses e sem dores nesse local. Felizmente, não tenho nenhuma fratura onde tenho agora as dores, mas não consigo colocar o pé no chão nem sequer mexe-lo neste momento”, contou Raphaël Guerreiro, numa publicação entretanto apagada, na qual dizia ainda manter-se com a seleção para apoiar os companheiros.

Fonte oficial da Federação Portuguesa de Futebol, citada pela agência Lusa, informou, entretanto, que Raphaël Guerreiro sofreu “uma contusão no pé esquerdo e já está em fase de recuperação”, sem precisar se o jogador ainda poderá voltar a jogar na presente edição da Taça das Confederações.

Corroborando as informações que o jogador já havia prestado, e entretanto apagado da respetiva conta no Instagram, a FPF esclareceu que, “por haver suspeita de fratura, Guerreiro foi submetido a exames num hospital em Moscovo”. “Analisados os exames, não foi detetada qualquer fratura na zona afetada”, informou a federação.

O Borussia de Dortmund também abordou a situação e referiu que o jogador português “teve sorte no azar”.

“Fomos informados pela seleção portuguesa de que o professional do Borussia de Dortmund sofreu uma dolorosa pisadela no jogo da Taça das Confederações”, escreveu o clube alemão na página oficial.


No jogo em que perdeu o lateral esquerdo para o resto da Taça das Confederações, Portugal venceu a Rússia, por 1-0, e assumiu a liderança do grupo A ao lado do México, mas em desvantagem nos golos marcados.

Um golo de Cristiano Ronaldo logo aos oito minutos, na sequência de um excelente cruzamento do azarado Raphaël Guerreiro, valeu o primeiro triunfo de Portugal em território russo.


Fernando Santos operou quatro mudanças no “11” em relação ao empate (2-2) da primeira jornada diante dos mexicanos. Bruno Alves revelou-se um muro na defesa, Adrien e Bernardo Silva deram coesão e maior eficácia ofensiva ao meio-campo, e André Silva permitiu mais espaço a Cristiano Ronaldo, decisivo no lance do golo.

O guarda-redes russo Igor Akinfeev foi um dos melhores jogadores em campo.


O próximo jogo de Portugal é sábado. Os campeões da Oceânia, a Nova Zelândia, que somam duas derrotas, são o derradeiro adversário dos campeões da Europa na fase de grupos. O primeiro classificado do grupo A vai enfrentar nas meias finais, a 28 de junho, o segundo classificado do grupo B, na Arena de Kazan. No dia seguinte, no Estádio Fisht, de Sochi, o segundo classificado do grupo A enfrenta o vencedor do grupo B.

A final está marcada para 2 de julho, no Estdio de São Petersburgo.

O beijo de Cristiano Ronaldo em Polina Haeredinova

Antes do pontapé inicial do Rússia-Portugal, na Taça das Confederações, decorreu um momento que está a tornar-se viral na internet. Envolve Cristiano Ronaldo e uma menina.

O capitão entrou no relvado do Estádio do Spartak de mão dada com Polina Haeredinova, de 10 anos. Presa a uma cadeira rodas, empurrada pelo guarda-redes Rui Patrício, a menina acompanhou o português com um sorriso contagiante permanente e Ronaldo tornou-lhe o dia inesquecível.


“Não poderia imaginar que iria ser uma experiência assi tão grande. O Cristiano Ronaldo foi excecional. Ele deu-me o casaco dele e deu-me um beijo de boa sorte. Fui o foco de emoções inacreditáveis, apoiando a Rússia. Nunca tinha vivido nada assim na minha vida”, afirmou Polina, em declarações citadas pela página oficial da FIFA na internet.





[Artigo atualizado às 15:00, hora de Lisboa]