Última hora

México em luta contra o tempo para encontrar sobreviventes

Os 32 anos do tremor de terra de 1985, que deixou milhares de mortos, foram assinalados pela mãe natureza de forma macabra.

Em leitura:

México em luta contra o tempo para encontrar sobreviventes

Tamanho do texto Aa Aa

A cada hora que passa, agrava-se o balanço provisório do violento sismo que abalou o centro do México esta terça-feira. As equipas de resgate esforçam-se por encontrar sinais de vida no meio dos escombros, mas é o número de vítimas o que mais depressa aumenta. Os últimos dados avançados pela Proteção Civil dão já conta de mais de 200 mortos.

As atenções centram-se na capital, onde vivem cerca de 20 milhões de pessoas. Mas grande parte das vítimas encontrava-se no estado de Morelos.

O sismo desta terça-feira teve epicentro na fronteira dos estados de Puebla e Morelos, 120 km a sudeste da Cidade do México.

O abalo, com magnitude 7.1 na escala de Richter sacudiu o país exatamente 32 anos depois do grande terramoto que matou mais de 20 mil pessoas, em 1985.

Dezenas de edifícios colapsaram, só na Cidade do México. Há milhares de pessoas sem energia.

A informação relativamente ao número de vítimas foi avançada nas primeiras horas da madrugada de quarta-feira. As autoridades temem, no entanto, que este venha aumentar.




O epicentro teve lugar a 120 quilómetros da capital, no estado de Morelos, e a 57 quilómetros de profundidade. O presidente da República, Enrique Peña Nieto, ativou um plano de emergência.

As escolas foram fechadas nas regiões afetadas e o Aeroporto Internacional Benito Juarez suspendeu os voos.

Mexico - Earthquake 20-09

Há duas semanas, um sismo com magnitude 8.2, o mais violento em quase um século, matou quase 100 pessoas.