Última hora

Las Vegas: motivações continuam a ser uma incógnita

Os investigadores continuam sem perceber o que terá levado um reformado norte-americano, sem antecedentes criminais, a disparar sobre a multidão que assistia a um concerto em Las Vegas

Em leitura:

Las Vegas: motivações continuam a ser uma incógnita

Tamanho do texto Aa Aa

Um dia depois do ataque mais mortífero da história recente dos Estados Unidos, a polícia continua sem compreender o que terá levado um reformado de 64 anos a disparar sobre os espetadores que assistiam a um concerto de música country, em Las Vegas.

Pelo menos 59 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas. Um português estaria a assistir ao concerto quando se deu o ataque, mas ao que tudo indica não faz parte das vítimas.

O autor do massacre não tinha antecedentes criminais e os investigadores acreditam que o atirador terá agido sozinho.

“Os investigadores estão a reunir provas e informações pertinentes para tentar perceber o que motivou o tiroteio. Recuperamos 23 armas de fogo no hotel Mandalay Bay e 19 armas de fogo na casa do atirador em Mesquite, no Nevada” refere o assistente do xerife do condado de Clark, Todd Fasulo.

Os Estados Unidos estão de luto e as homenagens às vítimas multiplicam-se um pouco por todo o país.

O Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, já enviou uma mensagem de condolências ao homólogo norte-americano. Donald Trump que descreveu o ataque como “um ato de pura maldade” é esperado esta quarta-feira em Las Vegas.

Vigil following mass shooting in Las Vegas