Última hora

Última hora

Suspeito de Manhattan diz que agiu em nome do Daesh

De acordo com o New York Times, as autoridades federais americanas já tinham investigado Saipov no âmbito de um outro inquérito.

Em leitura:

Suspeito de Manhattan diz que agiu em nome do Daesh

Tamanho do texto Aa Aa

As informações que vão surgindo sobre Sayfullo Saipov começam a compor o perfil deste emigrante do Uzbequistão que trabalhava como motorista da Uber na Nova Jérsia. Ao que tudo indica, as autoridades americanas terão encontrado uma nota no veículo do suspeito, na qual este diz agir em nome do grupo Estado Islâmico.

Supostamente, Saipov alugou a carrinha por volta das 14 horas na localidade de Passaic, na Nova Jérsia e dirigiu-se em seguida para Manhattan. As armas que trazia consigo eram falsas.

Sabe-se que chegou aos Estados Unidos em 2010, esteve empregado como motorista de pesados na Flórida e, aparentemente, é casado e tem dois filhos.

Encontra-se em estado crítico no hospital depois de ter sido baleado no abdómen. A polícia tentou proceder a um breve interrogatório já no hospital, mas o homem recusou-se a responder a qualquer pergunta.

O Uzbequistão anunciou estar a tentar apurar a proveniência exata deste homem.

Na mesquita que frequenta na cidade de Paterson, Nazar Oudah, um crente muçulmano, dizia o seguinte: “Ele vive aqui há cerca de três meses. Mas se perguntar às pessoas, ninguém o conhece de perto. Ninguém lhe reconheceu a cara agora, por exemplo. Eu acho que isto tem uma motivação pessoal por detrás. Isto é pessoal. É triste porque, mais uma vez, temos de relembrar que o Islão não incentiva ninguém a matar”.

De acordo com o New York Times, as autoridades federais americanas já tinham investigado Saipov no âmbito de um outro inquérito. No entanto, não foram divulgados detalhes sobre a natureza das averiguações.