Última hora

Última hora

Mourinho enfrenta justiça espanhola

José Mourinho foi ouvido pela justiça espanhola por suspeitas de ter burlado o fisco espanhol em 3,3 milhões de euros em 2011 e 1012, quando treinava o Real Madrid. Mourinho declarou que saiu de Espanha, em 2013, "com a informação e a convicção que a situação tributária estava perfeitamente legal."

Em leitura:

Mourinho enfrenta justiça espanhola

Tamanho do texto Aa Aa

O técnico português José Mourinho foi ouvido, sexta-feira, no tribunal de Pozuelo de Alarcón, arredores de Madrid, por suspeitas de ter burlado o fisco espanhol em 3,3 milhões de euros em 2011 e 1012, quando treinava o Real Madrid.

À saída do tribunal, aos jornalistas, Mourinho declarou que saiu de Espanha, em 2013, “com a informação e a convicção que a situação tributária estava perfeitamente legal.”

O atual treinador do Manchester United, apresentou as declarações fiscais de 2011 e 2012 em Espanha, mas sem incluir as receitas obtidas com a cedência dos direitos de imagem a empresas com sede em paraísos fiscais.

Em julho de 2015, Mourinho reconheceu a falta da declaração de direitos de imagem e aceitou pagar uma coima de 1,14 milhões de euros.

A queixa foi apresentada em junho passado pelo Ministério Público espanhol, que calcula os montantes em falta em 3.304.670 euros, dos quais 1.611.537 relativos a 2011 e 1.693.133 referentes a 2012.

Quando foi apresentada a queixa, em junho, a Gestifute, empresa do agente Jorge Mendes, que representa a Mourinho, assegurou que o técnico português tinha “regularizado” a situação com o fisco espanhol. A Gestifute informou que Mourinho tinha pago mais de 26 milhões de euros em impostos em três anos.

Mourinho orientou o Real Madrid entre 2010 e 2013.