Última hora

Última hora

"Estado da União": as incógnitas das lideranças Kurz e Puigdemont

Em leitura:

"Estado da União": as incógnitas das lideranças Kurz e Puigdemont

Tamanho do texto Aa Aa

Na Áustria tomou posse um novo governo, composto por um partido conservador tradicional e um partido de extrema-direita, tornando-se na primeira coligação desse tipo na Europa Ocidental.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia da semana destacamos, assim, a liderança de Sebastian Kurz, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, de 31 anos, que é o novo chanceler austríaco e que promete manter o país profundamente enraizado no campo pró-europeu.

Em destaque está, ainda, a decisão da Comissão Europeia de lançar um processo sem precedentes, muitas vezes referido como “bomba atómica”, ao pedir a ativação do artigo 7 do Tratado da União Europeia contra a Polónia por risco grave de violação do Estado de direito.

Outro tema importante é o resultado das eleições na Catalunha: os três partidos pró-independência juntos obtêm a maioria absoluta de lugares.

Carles Puigdemont, líder destituído do governo catalão, disse que os catalães deram uma bofetada ao Governo espanhol de Mariano Rajoy.

Refugiado em Bruxelas para escapar à prisão, o líder exigiu que se levante, de imediato, o artigo 155 da Constituição, que suspendeu a autonomia da Catalunha.

“República da Catalunha conquistou a monarquia do 155” – Puigdemont