Última hora

Última hora

Pernil de porco português retido na Colômbia

Em leitura:

Pernil de porco português retido na Colômbia

Pernil de porco português retido na Colômbia
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto dezenas de venezuelanos, de áreas mais pobres de Caracas, se manifestavam contra a falta de comida, em particular pelo facto do pernil de Natal não ter chegado às suas mesas, as autoridades dão o dito por não dito.

Depois de Nicolás Maduro acusar Portugal de responsabilidade por esta crise, o ministro venezuelano da Agricultura Urbana, veio dizer que, afinal, as 2200 toneladas de pernil de porco, importadas pelo país, estão retidas, há sete dias, na fronteira de Paraguachón, entre a Colômbia e a Venezuela. De acordo com Freddy Bernal, numa mensagem publicada na sua conta de Twitter, "a sabotagem é dos Estados Unidos" por "congelar as contas".

O ministro dos Negócios Estrangeiros português tinha reagido às acusações de Maduro numa entrevista à rádio TSF, dizendo, em tom de brincadeira, que "o governo português não tem poder para sabotar o pernil de porco".

Já a empresa portuguesa, do setor agroalimentar, Raporal dizia que a Venezuela deve cerca de 40 milhões de euros aos fornecedores lusos de pernil de porco.