Última hora

Última hora

"Zombies" canadianos triunfam no Fantasporto 2018

Em leitura:

"Zombies" canadianos triunfam no Fantasporto 2018

Tamanho do texto Aa Aa

A caminho de soprar 40 velas, este é um festival com história. O Fantasporto fechou a edição número 38 e o palmarés reflete a tendência dos últimos anos, com destaque para as produções da Europa, América Latina e Ásia.

O prémio de melhor filme, na secção de Cinema Fantástico, foi para o Canadá - "Les Affamés" ("Os Famintos", na versão portuguesa) tem a assinatura de Robin Aubert (autor de "Saints-Martyrs-des-Damnés"). Retrata a reação de um grupo de habitantes de uma pequena aldeia do Québec ao ver a família e amigos atingidos por uma estranha praga. É um filme de zombies mais intospetivo, diferente dos estereótipos do género.

"É um filme feito de uma forma muito natural. O desempenho dos atores e o humanismo das personagens é apaixonante. A qualidade da realização é humana e detalhada no que toca à definição de cada personagem - o que é muito pouco comum em filmes de zombies", disse o realizador norte-americano Harley Cokeliss, presidente do júri da competição. Cokeliss, que apresentou aqui uma cópia restaurada (depois de o filme se ter julgado perdido para sempre...) do clássico "Dream Demon", de 1988, foi um dos homenageados com Prémios Carreira, a par dos realizadores Lauro António (Portugal) e Mauro Mendonça Filho (Brasil) e do ator Tony Ramos (Brasil).

Repetindo a tendência de outros anos, houve mais um filme sul-coreano a sair daqui com prémios. Kim Jin-muk recebeu os prémios de melhor filme e melhor argumento na Semana dos Realizadores com "True Fiction". O filme, que teve antestreia mundial aqui no Fantas, é uma thriller sobre política, crime e corrupção.

Mais sobre Cult