Última hora

Última hora

Maputo ordena apreensão de carne suspeita de propagar Listeriose

Em leitura:

Maputo ordena apreensão de carne suspeita de propagar Listeriose

Tamanho do texto Aa Aa

O Instituto Nacional de Atividades Económicas (INAE) de Moçambique apreendeu 163 quilos de produtos derivados de carne, suspeitos de estarem contaminados com a bactéria da Listeriose.

"Temos brigadas no terreno e o comando deu ordem para que, nas províncias, cativassem essas carnes", disse Rodrigo Chiure, delegado provincial do INAE em Maputo, citado pela Rádio Moçambique.

Os produtos foram apreendidos em estabelecimentos da Matola, nos subúrbios da capital moçambicana.

Reuters
Os primeiros casos de contaminação foram diagnosticados em crianças no Soweto, Joanesburgo. Na imagem, uma conhecida rede sul-africana de supermercados com as prateleiras de derivados de carne vazias. Reuters

As autoridades sanitárias de Moçambique recomendaram que fossem eliminados produtos de carnes processadas, como salsichas e outros enchidos, provenientes de fábricas na África do Sul, especialmente das marcas Enterprise e Rainbow Chicken Limited.

O governo moçambicano referiu em comunicado que a bactéria Listeria monocytogenes foi identificada e isolada nas carnes oriundas daquelas unidade de produção.

O surto de Listeriose na África do Sul já matou 180 pessoas.

Reuters
As autoridades sul-africanas dizem que a origem da contaminação foi localizada numa unidade de produção da Enterprise Foods, em Polokwane (Limpopo), e que também foram encontrados vestígios noutra unidade, em Germinston (Gauteng). Reuters

Dada a "proximidade e as intensas relações comerciais" entre os dois países, e "como forma de evitar a introdução da doença" em Moçambique, o Ministério da Saúde emitiu a recomendação de evitar o consumo e retirar da prateleira os produtos referidos.

Várias empresas já comunicaram ter banido a venda de vários produtos cárneos sul-africanos.