This content is not available in your region

EUA ameaçam China com novas sanções sobre importações

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho
EUA ameaçam China com novas sanções sobre importações
Direitos de autor  REUTERS/Joshua Roberts

A tensão na guerra comercial entre os Estados Unidos da América e a China cresce de dia para dia.

Depois do anúncio de taxas sobre a importação de produtos chineses no valor de 50 mil milhões de dolares e uma resposta asiática na mesma medida, a Casa Branca ameaça com novas sanções: 100 mil milhões de dólares em tarifas adicionais.

A posição americana veio aumentar ainda mais o desagrado dos responsáveis chineses. De acordo com o porta-voz do Ministério do Comércio da China, Gao Feng, o país não vai deixar de contra-atacar.

"Se os Estados Unidos insistem nos seus atos de unilateralismo e protecionismo comercial, em total desrespeito para com a oposição da China e da comunidade internacional, a China vai continuar a lutar a qualquer custo", declarou.

O braço de ferro entre as duas maiores economias mundiais faz já pressão sobre as Nações Unidas. O Secretário-geral da ONU, António Guterres, já veio apelar ao fim desta disputa.

"As guerras comerciais são sempre más para os envolvidos na guerra comercial e para a economia internacional como um todo. Precisamos de ter cooperação internacional sempre que houver um problema. Deve haver diálogo", disse.

As listas de produtos a taxar de um lado e do outro são extensas. Se os americanos pretendem aplicar tarifas em cerca de 1300 produtos, os chineses, que importam menos em relação aos americanos, vão aplicar a medida a mais de 100 produtos, como a carne de porco e cereais.