This content is not available in your region

Protestos contra Nobel da Literatura para Peter Handke

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Protestos contra Nobel da Literatura para Peter Handke

Com pompa e circunstância, a Academia Sueca ergueu-se para entregar a Peter Handke o Nobel da Literatura 2019.

A obra do escritor austríaco foi galardoada, mas a polémica surge quando o autor da obra foi um apoiante do regime de Slobodan Milošević, acusado do genocídio de mais de oito mil muçulmanos, em Srebrenica, na Bósnia-Herzegovina, nos anos 90 do século XX.

Os aplausos da Academia contrastaram com a indignação vinda das ruas. Em Estocolmo, cerca de 500 pessoas protestaram contra a atribuição do prémio. De acordo com a porta-voz, entendem que na própria obra, Handke questiona o "genocídio e os crimes de guerra que aconteceram durante a guerra na Bósnia".

Para a escritora Alida Bremer, "ele foi um amigo do regime de Milosevic e não dos sérvios". Bremer, que estudou em Belgrado, na capital da Sérvia e viveu no país durante oito anos, diz ter lá "muitos amigos e quase todos são contra o autor e o regime"

Por defenderem que o prémio à obra literária reforça a "fuga às responsabilidades históricas" e relativiza o peso dos crimes de guerra, Kosovo, Turquia, Croácia e Albânia boicotaram a cerimónia .