This content is not available in your region

Alfabeto grego identifica variantes do novo coronavírus

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com EVN, AP, AFP
Alfabeto grego identifica variantes do novo coronavírus
Direitos de autor  Diritti d'autore: Victoria Jones/AP   -  

Para evitar constrangimentos e porque houve já quem se queixasse, como a Índia, as variantes do novo coronavírus deixarão de estar ligadas ao país onde foram descobertas mas a uma letra do alfabeto grego. Uma decisão tomada pela Organização Mundial de Saúde para evitar a estigmatização e discriminação e optando por designações "simples e fáceis de dizer e de memorizar".

A variante até aqui conhecida por inglesa passa a apelidar-se de Alpha, a sul africana de Beta, a brasileira de Gamma e a indiana de Delta. Há ainda uma sub-variante, com origem na Índia, que se designa de Kappa. 

Mas esta nova política em relação aos nomes só se aplicará àquelas que a OMS classifica de "variantes preocupantes" ou "de interesse" por estarem associadas a múltiplos casos, transmissão comunitária ou existirem em vários países.

Uma decisão tomada quando cresce a preocupação relativa a um possível aumento da resistência das variantes, e espera-se que surjam novas, às vacinas já existentes contra a Covid-19.