This content is not available in your region

PME+Tecnologia= Emprego e produtividade

Access to the comments Comentários
De  Euronews
PME+Tecnologia= Emprego e produtividade

<p>Nesta edição de Business Planet fomos até ao polo da Universidade de Warwick em Conventry. Paul Milne é membro da estrutura da Universidade que ajuda as pequenas e médias indústrias a desenvolver novos produtos, novos procedimentos, graças ao que chamamos <a href="http://ec.europa.eu/small-business/links/ket_pt.htm" title="TFE">tecnologias facilitadoras essenciais</a>, isto é, as tecnologias de ponta. </p> <p>Composição das tecnologias facilitadoras essenciais (<span class="caps">TFE</span>)</p> <iframe width="606" height="340" frameborder="0" scrolling="no" style="overflow-y:hidden;" src="https://magic.piktochart.com/embed/10321259-portuguese"></iframe> <p>Serge Rombi, euronews: Até que ponto as <span class="caps">TFE</span> são importantes? </p> <p>Paul Milne: Faz uma grande diferença. Usamos a tecnologia para ajudar 206 empresas e para criar ou salvaguardar 239 empregos locais. </p> <p>Automotive Insulations é uma destas empresas. Na fábrica nova, perto de Coventry, produz-se isolação acústica e térmica para os maiores construtores automóveis. A empresa colabora com o polo da Universidade de Warwick há dois anos. O que permitiu desenvolver uma nova gama de produtos com materiais inovadores. </p> <div style="width:280px; float:right; margin:20px;"> <div style="border-top: #333 3px double; border-bottom: #333 3px double; font-size:12px; padding-top:16px;"> <h3>Tecnologias facilitadoras essenciais: Informações básicas</h3> <ul> <li>As tecnologias facilitadoras essenciais (<span class="caps">KET</span> na sigla em inglês) são um grupo de seis tecnologias: micro e nanoeletrónica, nanotecnologia, biotecnologia industrial, materiais avançados, fotónica e tecnologias de produção avançada.</li> <li>Estas tecnologias já representam 19% dos produtos fabricados no total na União Europeia. Ajudaram a criar 3,3 milhões de empregos, 11% dos empregos europeus relacionados com a indústria.</li> <li>As tecnologias facilitadoras essenciais permitiram às empresas inovar, desenvolver produtos e serviços, aplicar novos métodos de produção e, acima de tudo, ganhar competitividade.</li> <li>O Warwick Manufacturing Group (<span class="caps">WMG</span>) é um dos 187 centros que fornecem tecnologia de ponta e aconselhamento às Pequenas e Médias Empresas na Europa.</li> </ul> <h3>Links úteis</h3> <ul> <li><a href="http://ec.europa.eu/growth/industry/key-enabling-technologies/index_en.htm">Tecnologias facilitadoras essenciais</a></li> <li><a href="http://ec.europa.eu/growth/tools-databases/kets-tools/kets-ti-inventory/map">Mapa e lista dos centros para <span class="caps">PME</span></a></li> <li><a href="http://www2.warwick.ac.uk/fac/sci/wmg/about" title="WMG">Warwick Manufacturing Group</a></li> </ul> </div> </div> <p>Graças a instrumentos digitais a empresa fez evoluir o processo de produção. </p> <p>Paul Milne adianta: “Desenvolvemos uma aplicação de telemóvel, fácil de usar, para certificar que as partes estão bem rotuladas e que há menos erros nas entregas”. </p> <p>Paul Walker, diretor de operações da Automotive Insulations, explica a importância desta colaboração: “O problema das pequenas e médias empresas (<span class="caps">PME</span>) é que são muito pequenas para ter um departamento de pesquisa próprio, que possa analisar o que há de melhor e de mais recente no mundo. O polo da universidade abriu-nos essa porta para a tecnologia. Para nós, o seu conhecimento ajuda-nos a detetar as coisas que se podem adequar ao negócio e ajudam-nos a melhorar”. </p> <p>Sai beneficiado também o mercado de trabalho. </p> <p>Chinemelum Nedolisa, com um doutoramento em ciências inovadoras, é um dos quatro estagiários, altamente qualificados, enviados pelo polo da Universidade para participar no desenvolvimento da empresa. Hoje explica: “Integrei um programa de estágio de dois meses. Depois de dois meses, ofereceram-me um emprego a tempo inteiro na Automotive Insulations”. </p> <p>Agora, a fábrica funciona 24 horas por dia. A empresa alargou as atividades, por exemplo, ao setor da construção e desenvolveu o negócio na Alemanha, Suécia e Índia. Paul Walker acrescenta: “O volume de negócios passou de cinco a sete milhões de euros anuais, para 25 milhões no ano passado. E vamos duplicá-lo”. </p> <p>O polo da universidade de Warwick é cofinaciado por fundos europeus. Graças aos estagiários, mas também aos vários acontecimentos e trabalhos de investigação, o polo permitiu às pequenas e médias empresas aceder às tecnologias de ponta. Um fator chave, já que 20% da produção europeia se baseia atualmente nestas tecnologias. </p> <p>euronews: Este é um exemplo em Inglaterra. Mas um empresário francês, português ou espanhol, pode aceder a estas tecnologias? </p> <p>Paul Milne: Sim, é possível. Há 187 centros em toda a Europa que podem apoiar as Pequenas e Médias Empresas com as tecnologias facilitadoras essenciais. </p> <p><h3>Centros de Tecnologias Facilitadoras Essenciais na Europa</h3> <iframe width="606" height="412" src="//www.thinglink.com/card/726811042318909441" type="text/html" frameborder="0" webkitallowfullscreen mozallowfullscreen allowfullscreen scrolling="no"></iframe></p>