Última hora

Última hora

Connect-R: "não faz sentido utilizar a palavra cigano como um insulto"

Em leitura:

Connect-R: "não faz sentido utilizar a palavra cigano como um insulto"

Tamanho do texto Aa Aa

Connect-R é a estrela do momento na cena hip-hop na Roménia. O último single “Still” é um sucesso de vendas no país. A euronews esteve à conversa com o artista de etnia cigana.

Connect-R, artista:
“Connect-R quer dizer o que liga as pessoas, a música, os estados de espírito. Este é o ponto de partida. Eu nunca estudei música, mas toco piano e canto, sem qualquer tipo de treino e sem fazer esforço. É provavelmente algo inato e penso que isso é uma vantagem. Eu cresci a ouvir outro tipo de música: Chuck Berry, Aretha Franklin, Elvis Presley, rock & roll e outros estilos como blues ou jazz. Acho que o que faço agora é o resultado de uma fusão entre o talento da minha nação e a educação musical que me foi dada pelo meu pai.”

O cantor admite fazer uma música comercial para ter mais sucesso. Apesar do reconhecimento, o artista não esconde as suas origens. Quando a canção “Burning Love” recebeu o prémio de música do ano 2010 na Roménia, Connect-R fez questão de afirmar o orgulho que tem em ser cigano.

Connect-R, artista:
“Foi um acto de coragem porque na Roménia há muitos preconceitos sobre os ciganos. Eu pensei que era o momento ideal para dizer que um cigano também pode ter sucesso na vida. Quis mostrar ao mundo que não faz sentido utilizar a palavra cigano como um insulto. Por outro lado, quis mostrar aos meus pares que podemos fazer as coisas de outra maneira. Já estou habituado. Leio no You Tube milhares de comentários, talvez milhões, em que dizem que é uma boa faixa, que eu canto bem, a letra é boa, a mensagem é boa, que eu danço bem, mas que é pena ser cigano. Mas eu sou cigano.”

Connect-R era mecânico antes de começar a ter sucesso com a música, mas nem por isso é condescendente para com os outros ciganos.
Sobre as expulsões em França, em vez de criticar as autoridades francesas, como seria de esperar, critica as pessoas expulsas.

Connect-R, artista:
“Eu sempre assumi as minhas origens e ainda as assumo um bocado. E digo um bocado quando comparo o passado com o que se passa hoje. Antigamente os ciganos tinham várias actividades: arte, artesanato, poesia. O cigano moderno mudou muito. O que está a acontecer é muito doloroso. Essas pessoas ficam na periferia das grandes cidades europeias e envergonham-nos. Há alguns anos, Sarkozy apoiou a entrada da Roménia na União Europeia. Não me parece que o que está a acontecer seja premeditado. E, mesmo se desiludo os meus companheiros, eu apoio o que ele fez. Foi uma excelente iniciativa.”

O único remédio para resolver os problemas de hoje é, de acordo com Connect-R, a educação. Ou então a música.

Connect-R, artista:
“Há uma lenda que diz que Deus distribuiu as profissões: artesãos, pintores, decoradores, doutores, engenheiros. E nesse momento o último a chegar foi o cigano, com penas nos cabelos. Ele acabava de sair do celeiro porque, como é hábito, é preguiçoso E perguntou a Deus: então e eu, o que é que me dás. Deus disse: não tenho nada para ti, chegaste tarde demais. Então o cigano foi-se embora, mas Deus, com a sua bondade, disse: espera um momento. Afinal tenho algo para ti. E deu-lhe um violino. Devia ser uma lei. A música é uma das maiores qualidades dos ciganos e eles deviam trabalhar nesse sentido.”