Última hora

Última hora

Alberto do Mónaco: "Não há limite de idade para casar"

Em leitura:

Alberto do Mónaco: "Não há limite de idade para casar"

Tamanho do texto Aa Aa

No início de julho, o Mónaco assiste ao casamento por que esperou muitos anos. O príncipe Alberto vai finalmente dar o nó, com a ex-nadadora sul-africana Charlene Wittstock. As celebrações vão estender-se por três dias.

A Euronews foi ao Principado entrevistar o casal.

Euronews: Já falta pouco para o casamento, pelo que os preparativos já devem estar muito avançados. Apesar do stress que um evento destes costuma envolver, parecem tão calmos e serenos…

Príncipe Alberto: Faz parte do nosso carácter e das nossas personalidades. Penso que não nos aborrecemos ou enervamos com preparativos como estes. A preparação envolve muito trabalho e alguns momentos ligeiramente difíceis, mas penso que já passámos essa fase e já se pode ver o palácio e todo o Mónaco a transformar-se para os dias que aí vêm.

Charlene Wittstock: Para já tudo tem corrido dentro do planeado. Está tudo dentro do timing previsto. Não tem havido contratempos nos trabalhos.

PA: São apenas pequenos detalhes de organização, não necessariamente da cerimónia, mas da parte logística.

E: Conseguiram dar um toque pessoal a um evento gigantesco como este?

PA: Acho que decidimos juntos as linhas gerais…

CW: Foi uma joint venture…

PA: E depois, claro, sendo a Charlene uma mulher com um excelente gosto está mais envolvida na decoração e em alguns detalhes nessa área.

E: O que é que sugeriu?

CW: Vai ver… Não quero revelar muitos pormenores agora. Vai ser uma surpresa. O casamento deve ser algo bonito, em que não podemos ver o que o torna belo.

E: O conto de fadas, tornar-se princesa, é o sonho de muitas raparigas. Às vezes tem de se beliscar, para acreditar que isto é realidade?

CW: Acho que ainda não caí na realidade. Vejo o pátio completamente diferente do que era… Há muito mais pessoas a trabalhar… Por agora, sigo apenas o meu caminho.

E: Sua Alteza, demorou algum tempo a encontrar a mulher dos seus sonhos. Custa-lhe acreditar que encontrou a mulher com quem vai passar o resto da vida?

PA: Acho que nunca precisei de me beliscar, mas eu estou muito emocionado e feliz pelo facto de eu e a Charlene irmos passar pelo menos muito tempo juntos e espero que seja o máximo de tempo possível. Todas as pessoas têm o seu timing e cada uma tem o seu caminho na vida e a sua maneira de fazer as coisas. E eu fui pela estrada um pouco mais longa. Mas não há limite de idade para nos casarmos – é uma decisão pessoal e foi uma decisão mútua.

E: Está a entrar numa família muito famosa e que tem um estatuto lendário. Como é que se sente?

CW: Eu tenho muito respeito pelo país e pela herança do Alberto. Sempre disse que não vou calçar os sapatos de ninguém. Sempre percorri o meu caminho, nadei as minhas próprias provas. Portanto, acho que o tempo vai dizer onde é que isto acaba.

E: O desporto é uma das coisas que têm em comum. Quais são os outros ingredientes? O que é que derrete o seu coração quando pensa na sua noiva?

PA: Ela é tão generosa no tempo que dispensa aos outros. Ela consegue chegar às outras pessoas, especialmente às crianças e crianças com deficiências. Ela foi nomeada embaixadora dos Special Olympics, o que é uma excelente organização com objetivos fantásticos e tenho a certeza que ela vai desempenhar a sua missão com imensa paixão e um imenso coração.

E: O que é que a enternece quando pensa no seu futuro marido?

PA: Vou tapar os ouvidos para não ouvir…

CW: Ele é uma pessoa extremamente compassiva, preocupada, amorosa e divertida. Eu diria que mesmo que não fôssemos dar este passo, ele continuaria a ser o melhor dos amigos e ele é, realmente, um dos meus melhores amigos. Ele é uma pessoa em quem posso confiar e que me dá a sua opinião. O que é que posso dizer mais? Ele está aqui ao meu lado…