Última hora

Última hora

O combate à fraude fiscal que delapida a Europa

Em leitura:

O combate à fraude fiscal que delapida a Europa

Tamanho do texto Aa Aa

A evasão fiscal nas offshore. Como é que tantos contornaram o sistema durante tanto tempo? As políticas são suficientemente restritivas ou foram longe demais? Os nomes vão surgindo: figuras destacadas da sociedade que acumularam dinheiro em contas offshore, contornando a taxação dos seus rendimentos.

Perante a multiplicação deste tipo de notícias, os responsáveis políticos têm anunciado mais medidas contra a evasão fiscal, ao mesmo tempo que implementam mais austeridade. A Comissão Europeia estima que a fraude fiscal custa aos governos europeus cerca de um bilião de euros por ano.

Cinco países – a Grã-Bretanha, a França, a Alemanha, a Itália e a Espanha – acordaram um sistema de troca de informações, apelando a que todo o bloco europeu faça o mesmo. Tudo isto foi propulsionado depois do caso Jérôme Cahuzac, o ministro francês do Orçamento, forçado a demitir-se após ter mentido sobre uma conta secreta na Suíça.

Será que as medidas previstas são suficientes para colmatar as falhas de controlo? Ou será que a existência de paraísos fiscais torna evidente que, em determinados países, a carga de impostos é incomportável? Para esta edição do The Network, convidámos Robin Hodess, diretora legal da ONG Transparência Internacional; Philippe Lamberts, que integra o Comité de Assuntos Económicos, membro dos Verdes/Aliança Livre Europeia; e Mario Tuor, porta-voz da Secretaria de Estado suíça para Assuntos Financeiros Internacionais.