Última hora

Última hora

A pesada herança de Ferguson nos ombros de Moyes

Em leitura:

A pesada herança de Ferguson nos ombros de Moyes

Tamanho do texto Aa Aa

Foi a notícia da semana. O Manchester United anunciou, na quarta-feira, a saída no fim da época de Sir Alex Ferguson do cargo de treinador. O escocês, de 71 anos, acaba de garantir o vigésimo título inglês da história dos Red Devils e vai afastar-se dos relvados 26 anos depois de ter entrado em Old Trafford, em novembro de 1986. No clube, como treinador e manager, deixa um pesado legado de troféus, entre provas nacionais (13 campeonatos, 5 Taças de Inglaterra, 4 Taças da Liga e 10 Supertaças) e internacionais (2 Liga dos Campeões, 1 Taça das Taças, 1 Supertaça Europeia, 1 Taça Intercontinental e 1 Mundial de Clubes), a que também podemos juntar, pela ajuda essencial que deu, o prémio FIFA de melhor futebolista do Mundo ganho por Cristiano Ronaldo, em 2008, referente ao ano anterior.

O anúncio da retirada de Alex Ferguson mexeu com o mercado de treinadores e um dos nomes falados foi o de José Mourinho, que deve estar de saída do Real Madrid e a caminho de Inglaterra. Mas não se confirmou. A escolha do United recaiu, sim, em David Moyes, que acabou de celebrar 50 anos no dia 25 de abril e que é há uma década treinador do Everton. A questão, apesar de tudo, que se impõe é: como será o futuro do Manchester United depois de Alex Ferguson?

Joe Allen, um dos jornalistas ingleses na redação de desporto da euronews, admite que a sucessão de Alex Ferguson será “um desafio complicado” para David Moyes, mas revela confiança nas capacidades do ainda treinador do Everton. “Para qualquer pessoa seria sempre difícil entrar num dos três maiores clubes da Europa e do Mundo. É difícil, mas penso que David Moyes tem tudo o que é preciso para orientar esta equipa. E penso que será ajudado, claro, por Sir Alex Ferguson, pela herança que ele deixa, pela filosofia de jogo e também pela aposta na formação”, pormenoriza.

Na opinião de Joe Allen “a herança de Alex Ferguson” vai, assim, “ajudar David Moyes”. “Existe aquela mentalidade de ‘lutar até à morte’ que a maioria dos clubes receia no United. Mesmo a perder por dois a zero, com cinco minutos para jogar, eles nunca desistem. O Manchester United nunca desiste e essa mentalidade vai manter-se no clube porque tem sido incutida nos jogadores desde que eram muito novos”, sublinha, confiante de que “David Moyes tem muitas coisas a seu favor e, certamente, graças a sir Alex Ferguson.”

Ferguson e Moyes são o que se pode descrever como “farinha do mesmo saco”. Mesmo assim, é surpreendente para os dias que correm o contrato de seis épocas oferecido pelo United a Moyes, que irá, alegadamente, receber no total qualquer coisa como 35 milhões de euros. “É uma enorme prova de confiança do United em Moyes”, analisa Joe Allen, concordando, contudo, que “não é normal (ser oferecido) um contrato tão longo”. “Ainda assim, isto mostra simplesmente a confiança que o clube tem em Moyes. Não nos podemos esquecer que a ligação de Sir Alex Ferguson e David Moyes já é antiga: quando Moyes estava a tirar as licenças de treinador, frequentou os cursos da Federação escocesa, que, na altura, eram ministrados por Sir Alex Ferguson.”

Desde aí, recorda Joe Allen, “Alex Ferguson manteve Moyes debaixo de olho”: “Esteve no Preston North End quando Moyes estava a treinar o clube e os promoveu à League One (n.: o equivalente à II Liga portuguesa). Dois anos antes disso, se bem me lembro, o United estava à procura de um novo adjunto para Ferguson e ponderou contratar David Moyes antes de avançar para Steve McClaren. Penso, por isso, que eles sempre tiveram o Moyes em conta. Tiveram-no sempre debaixo de olho. Muitos antigos jogadores e treinadores já aplaudiram a escolha do sucessor de Ferguson. Muita gente em torno do United confia no trabalho de David Moyes”, garante o jornalista de desporto da euronews.

É uma tarefa, certamente, diferente da que teve na última década no Everton. Não só pela pressão de gerir um balneário de grandes estrelas, mas também pela obrigação de andar sempre no topo da Premier League. É uma sombra de sucesso muito densa com que David Moyes vai ter de conviver em Old Trafford. “Totalmente de acordo. Como é sabido, Ferguson não está a sair completamente de Old Trafford. Ele vai, sim, subir as escadas para a administração. Além disso, é embaixador do clube. Ainda assim, penso que Ferguson conhece muito bem o funcionamento e a ética do United. Não o imagino a querer ser como um chefe ou o patrão de David Moyes. Ele sabe bem ao que vai e acredito que respeita o trabalho de Moyes”, confia Joe Allen, recusando a ideia de que Ferguson vá ser “uma sombra muito má” para Moyes – “Para além de que Moyes também respeita muito Ferguson e sempre que precisar de algum conselho, não terá problemas em procura-lo e pedir-lho. Não penso que Moyes vá ter problemas com isso”, acrescenta.

“Em relação às grandes estrelas da equipa, Moyes e Ferguson, como foi referido, são ‘farinha do mesmo saco’. Moyes é parecido com Ferguson, tem o mesmo caráter forte e não se deixa levar facilmente. Acredito que ele vai meter toda a gente em sentido”, confia Joe Allen, reforçando que “a herança de Ferguson vai ficar para trás” porque “nenhum homem é maior do que o clube”. “Moyes vai adaptar-se na perfeição ao United. Ele tem a força para o conseguir”, concretiza.