Última hora

Última hora

Gravity: Novo espaço de análise dos desportos de inverno

Em leitura:

Gravity: Novo espaço de análise dos desportos de inverno

Tamanho do texto Aa Aa

Kjetil Jansrud foi coroado “rei na Noruega” depois de se tornar campeão Olímpico de Super-Gigante.
Andrea Fishbacher sagrou-se imperatriz da Áustria em terras suíças.
Severin Freund está quase imbatível nos trampolins de saltos de esqui.

Estes são os principais destaques de Gravity, o novo magazine da euronews dedicado à atualidade dos desportos de inverno.

Jansrud “rei na Noruega”

A Noruega talvez tenha encontrado um novo rei no ski: Kjetil Jansrud.
Em casa, o campeão olímpico de Super-Gigante, venceu o Downhill na sexta-feira e voltou a arrecadar nova vitória este domingo na sua pista favorita em Olympiabakken.

A jogar em casa, na estação de Kvitfjell, Jansrud subiu ao mais alto lugar do pódio em Super Gigante. Com um tempo de 1.31.39, arrecadou o terceiro triunfo na Taça do Mundo de Esqui Alpino. A 26 centésimas do norueguês terminou o suiço Patrick Küng.
Na terceira posição ficou o austriaco Matthias Mayer.

Kjetil Jansrud roubou o protagonismo ao também norueguês Aksel Lund Svindal. Depois de uns jogos olímpicos para esquecer, voltou a desiludir este fim-de-semana. De qualquer forma, e mesmo sem ganhar, Svindal já conquistou o Globo de Cristal em Downhill e Super Gigante e recuperou o primeiro lugar na taça do mundo de esqui alpino, Marcel Hirscher caiu para segundo.

Queda aparatosa de Bank

Um dos momentos do fim-de-semana: Ondrej Bank perdeu o controlo depois de tocar na porta e caiu. Esteve muito tempo no chão até receber assistência médica mas a lesão não terá sido muito grave.
O veterano esquiador checo não vai poder assistir de perto ao duelo entre Svindal e Hirscher.

Suiças desiludem em casa

Na Suíça, em Crans Montana, as esquiadoras da casa eram as favoritas na prova de Super-Gigante. A equipa hélvitica contava com Lara Gut, que tinha conseguido o melhor tempo na sessão de treinos em Mont Lachaux, mas que falhou uma das portas. O mesmo aconteceu a Marianne Kaufmann-Abderhladen, a mais rápida em Val d’Isère há poucos meses.

Quanto a Dominique Gisin, a campeã olímpica de Super-Gigante, não conseguiu melhor que a décima posição, deixando o caminho livre para as outras favoritas.

A vitória foi conquistada por Andrea Fischbacher. A austríaca impôs-se mesmo à compatriota Anna Fenninger, que terminou a apenas quinze centésimas e à eslovena TIna Maze, a terceira classificada.

Quatro anos depois da última vitória na Taça do Mundo, Fischbacher volta ao mais alto lugar do pódio.

As austriacas estiveram mesmo em grande nesta prova: ocuparam seis das quinze primeiras posições. A alemã Maria Hoefl-Riesch, que lidera a classificação geral da especialidade, terminou em nono.

Freund quase imbatível

Severin Freund parece não ter rival à altura desde que terminaram os Jogos Olímpicos de Sochi.
O saltador alemão, que já tinha ganho em Falun e Lahti…ficou a apenas um passo de conseguir um “had-trick”. Faltaram-lhe apenas quatro pontos para conseguir o mesmo recorde de Sven Hannavald, a lenda alemã da disciplina de saltos de esqui.

Só Kamil Stoch conseguiu aproximar-se de Freund na segunda prova do fim-de-semana disputada em Lahti, na Finlândia.
O polaco arrecadou a quinta vitória da temporada e regressou à liderança da classificação geral com uma vantagem de apenas 3,6 pontos sobre o alemão.

Freund subiu a um pódio pela quarta vez nos últimos dias. No sabado também tinha terminado em segundo a competição por equipas. Este domingo, o terceiro lugar foi ocupado por Gregor Schlierenzauer.

Fechamos assim a primeira edição de ‘Gravity’.
Voltamos na próxima semana para comprovar quem é o melhor neste jogo arriscado de desafiar as leis da gravidade