Última hora

Última hora

Um salto até ao Japão

Em leitura:

Um salto até ao Japão

Tamanho do texto Aa Aa

Sendo o Japão o terceiro maior parceiro comercial da Europa e com as autoridades a apoiar a eficiência energética, na sequência do desastre de Fukushima, aqui existem oportunidades de negócio muito interessantes para as PME europeias.

Sistemas de iluminação com baixo consumo de energia, tomadas elétricas inteligentes… São apenas alguns dos produtos em exibição numa feira japonesa de material de escritório.

Produtos de uma PME holandesa que surgiu no mercado japonês depois de embarcar em três missões comerciais, como parte do Programa Gateway da UE.

Para Reinder Sandersv da empresa Plugwise: “O programa Gateway apoiou-nos nos estudos de mercado, nas exposições e a traduzir cartões de visita e folhetos. Foi uma grande ajuda.”

Graças às missões comerciais e à adequação dos produtos ao mercado, a empresa holandesa tem agora um parceiro japonês.

Yuji Otsuka é o diretor executivo da Otsuka Corporation e adianta que: “É um produto útil, necessário e que não existia no Japão. Foi uma boa oportunidade para nós.”

Missão cumprida. Entrar no mercado japonês permitiu à empresa criar 8 novos postos de trabalho e aumentou o volume de negócios.

Reinder Sanders reforça: “Começámos com cerca de 10.000 € por mês, aumentando para 25 e 60 e agora para 100.000 € e ainda mais no próximo ano.”

euronews:” Desde 2009. tiveram lugar cerca de 30 missões comerciais no âmbito do Programa gateway da UE, com a participação de quase mil PMEs europeias.”

O programa oferece uma plataforma para ajudar as PME a entrar no mercado japonês em setores como as novas tecnologias ou o design.

Os participantes recebem auxílio financeiro e informação adaptada às suas necessidades e objetivos nos mercados específicos.

Durante uma semana visitam outras empresas e conhecem potenciais parceiros. E também aprendem as melhores estratégias de negócio no Japão.

Hisataro Nonaka é especialista em negócios do Programa Gateway: “Primeiro há que conhecer as pessoas, antes de conhecer o produto e a empresa. E depois, gradualmente, perceber o que querem.”

O mercado japonês não é apenas um dos maiores do mundo é também um dos mais competitivos.

Inovação e um mercado específico são fatores essenciais para o sucesso. Como as tecnologias verdes.

Reforça a ideia que: “é um mercado de competitividade feroz. Já existem muitas empresas devido ao tamanho do mercado… Não é fácil entrar e simplesmente começar a vender um produto.”

Reinder Sanders desvenda os segredos para o êxito: “As chaves do sucesso para fazer negócios no Japão são: ser paciente, construir uma forte relação com o parceiro de negócios, e total abertura sobre o modo de trabalhar, os processos e, principalmente, o controlo de qualidade.”