Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J10: Com Sporting e FC Porto a tropeçar, Benfica soma e segue

Em leitura:

Liga Portuguesa, J10: Com Sporting e FC Porto a tropeçar, Benfica soma e segue

Tamanho do texto Aa Aa

O Guimarães foi, porventura, o grande vencedor desta 10.a jornada, ao aproveitar o empate do FC Porto no Estoril para subir isolado ao segundo lugar, a dois pontos do líder Benfica. As “águias” acabaram encostadas às cordas, a defender a magra vantagem, mas venceram (1-2) no reduto do Nacional e continuam na frente. Os “leões” caíram para sétimo e o Belenenses aproximou-se dos “dragões.”

Na Madeira, entrada forte do Nacional, premiada com um golo logo aos 50 segundos do estreante a titular Edgar Abreu, de 20 anos. O Benfica, a surgir com Lima e Jonas no ataque e Talisca no meio campo, reagiu e empatou, aos 7 minutos, por Sálvio, com o guarda-redes Rui Silva a ser infeliz na oposição ao cabeceamento. Os insulares não baixaram a intensidade e Júlio César teve se aplicar. Rui Silva também.

O guarda-redes dos madeirenses viria, contudo, a ser de novo pouco feliz, aos 19 minutos, incapaz de parar o remate à figura de Jonas, na insistência a um canto. Reviravolta no marcador, num jogo muito interessante até então, mas que se equilibrou a meio campo quando Talisca e Enzo Pérez encontraram a fórmula para ocuparem o espaço.


Jorge Jesus, contudo, não gostava e pouco depois do intervalo tirou Lima, colocou Samaris e adiantou Talisca. O Nacional também trocou de avançados, com a entrada do possante luso-angolano Lucas João, de 21 anos. Aos 70 minutos, a equipa de arbitragem liderada por Bruno Paixão assinalou mal um fora de jogo ao Nacional, com Marco Matias isolado.

Os insulares pareceram ganhar força e assumiram o jogo, com o Benfica como que a deixar-se encostar às cordas, na defesa dos “ 3 pontos. Conseguiu. Com este difícil triunfo na Choupana, os campeões nacionais mantêm-se na liderança da Liga, agora com 25 pontos, mais dois do que o Guimarães.

NACIONAL, 1 (Edgar Abreu, 1’)
BENFICA, 2 (Salvio, 7’; Jonas, 19’)

Nacional: Rui Silva; João Aurélio, Zainadine, Miguel Rodrigues e Fernando Marçal; Fofana, Ali Ghazal e Edgar Abreu (Camacho, 57’); Rondon, Hyun-Jun Suk (Lucas João, 61’) e Marco Matias
Benfica: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel e André Almeida; Sálvio, Enzo Pérez, Talisca e Nico Gáitan; Jonas (Pizzi, 85’) e Lima (Samaris, 56’)

Mal menor para o FC Porto ao cair do pano
Os “dragões” entraram pressionantes, com os “canarinhos” algo retraídos. A diferente postura conduziu os visitantes ao golo, aos 20 minutos. Mais um grande momento de Brahimi, pela esquerda. Segundo golo do argelino no campeonato, sétimo da temporada.

O Estoril respondeu de pronto. Kuca avisou primeiro, pediu penálti, não foi atendido, marcou logo de seguida. Quarto golo na Liga para o cabo-verdiano, de 25 anos, ex-Chaves, aqui na insistência após um canto.

Os anfitriões melhoraram, conseguiram disputar e ganhar mais bolas divididas, preencher melhor espaço e tapar as investidas dos alas portistas, Quaresma e Brahimi.

Após o intervalo, Lopetegui ainda demorou 15 minutos até mexer na equipa. O espanhol tirou o compatriota Adrian Lopez e Casemiro, apostou no camaronês Aboubakar para a frente e Quintero para tornar o meio campo mais ofensivo. Couceiro respondeu, tirando Babanco e refrescando o meio campo com Filipe Gonçalves, que teve quase de imediato um remate forte por cima da baliza.

O FC Porto tinha mais bola, mas o Estoril também era perigoso a espaços e, aos 81 minutos, com Fabiano a arriscar de forma excessiva, Tozé, jogador emprestado pelos “dragões” aos “canarinhos”, sofreu falta para grande penalidade e ele próprio a concretizou, sem festejar e ate pedindo desculpas aos adeptos azuis-e-brancos.

Lopetegui arriscou tudo, tirou um central (Maicon) e meteu um elemento ofensivo (Olíver Torres) e foi premiado. O FC Porto não ganhou, mas conseguiu não perder. Colocando Kieszek sob grande pressão, no penúltimo minuto dos descontos Olíver Torres, em vésperas de completar 20 anos, aproveitou uma assistência esforçada de Jackson e selou o empate no jogo.


Os “dragões” continuam a ser a única equipa sem perder na Liga, mas cederam o quarto empate e atrasaram-se face ao primeiro lugar – o Benfica leva mais três pontos e o vice-líder agora chama-se Guimarães. O Estoril também somou o quarto empate na Liga e cai para 12°, ultrapassado pelo Setúbal e alcançado pelo Boavista.

ESTORIL, 2 (Kuca, 27’; Tozé, 81’gp)
FC PORTO, 1 (Brahimi, 20’; Olíver Torres, 94’)

Estoril: Kieszek; Anderson Luís, Yohan Tavares, Ruben e Emídio Rafael; Babanco (Filipe Gonçalves, 68’), Diogo Amado e Anderson Esiti; Sebá (Fernandinho, 83’), Tozé e Kuca
FC Porto: Fabiano; Danilo, Maicon (Oliver Torres, 82’), Indi e Alex Sandro; Quaresma, Casemiro (Quintero, 63’), Herrera e Brahimi; Adrian Lopez (Aboubakar, 63’) e Jackson Martinez


Sporting volta a marcar “paço”
Regresso de Paulo Fonseca a Alvalade, com o Paços de Ferreira. Há duas épocas, o então futuro treinador do FC Porto conduziu os “castores” a um triunfo (0-1) no reduto dos “leões”, na altura comandados pelo belga Vercauteren. Fonseca prometeu não jogar à defesa e a verdade é que os pacenses se apresentaram bem organizados perante um Sporting a querer mandar, mas sem conseguir criar chances.

Num lance bem trabalhado, aliás, os visitantes colocaram-se em vantagem, por Hurtado. Bem lançado por Minhoca, o peruano fugiu bem a Sarr e, na cara de Patrício, marcou o segundo golo na Liga. A vantagem forasteira, ao intervalo, pela eficácia revelada.

Para a segunda parte, Marco Silva arriscou. Tirou os apagados William Carvalho e Carrillo. Apostou em Montero e Carlos Mané. Resultou. Aos 49 minutos, Montero arriscou um remate de longe e assinou o terceiro golo no campeonato. O Sporting estava melhor e mais dominador ficou quando, no espaço de um quarto de hora, Sérgio Oliveira viu dois amarelos e foi expulso.

Paulo Fonseca procurou reequilibrar a equipa defensivamente com a entrada de Romeu Rocha. Marco Silva respondeu com Capel no lugar de Cédric, mas o espanhol voltou a estar deslocado da equipa e do jogo. Slimani também esteve desinspirado e Montero ainda viu um golo ser anulado, por suposto fora de jogo.


Os “castores”, por fim, voltaram a pontuar em Alvalade com Paulo Fonseca ao leme. Há duas épocas ganharam, desta vez, levam um só ponto, mas suficiente para manter o Paços à frente do Sporting, respetivamente, no sexto e sétimo lugares, com 18 e 17 pontos. Candidatos assumidos ao titulo, os “leões” consentiram o quinto empate, já estão a 7 pontos do líder e podem ser apanhados pelo Rio Ave esta segunda-feira.

SPORTING, 1 (Montero, 49’)
P. FERREIRA, 1 (Hurtado, 32’)

Sporting: Rui Patricio; Cédric (Diego Capel, 79’), Paulo Oliveira, Nabi Sarr e Jefferson; William Carvalho (Fredy Montero, 46’) e Adrien Silva; Nani, João Mário e Carrillo (Carlos Mané, 46’); Slimani
P. Ferreira: Defendi; Jaílson, Rafael, Ricardo e Hélder Lopes; Minhoca, Sérgio Oliveira (AAV, 74’), Seri e Urretaviscaya; Bruno Moreira (Cícero, 63’) e Paolo Hurtado (Romeu Rocha, 78’).

Guimarães “conquista” segundo lugar
A jornada 10 abriu sexta-feira (7 de novembro), com o triunfo do Guimarães em Arouca. A partida, curiosamente, chegou aos 75 minutos sem golos e com os anfitriões a merecer a vantagem, que conseguiriam por Diego Queiroz. O defesa brasileiro marcou no seguimento de um livre.

O golo sofrido pareceu despertar o “conquistador” adormecido. Aos 82 minutos, Josué empatou e, aos 88, o promissor Hernâni confirmou, numa recarga, a reviravolta dos vimaranenses. O terceiro golo na Liga do cabo-verdiano de 23 anos valeu a subida do Guimarães à vice-liderança do campeonato.

No sábado, ainda a norte, num dos “derbies” minhotos, o Gil Vicente foi a Braga sofrer a sétima derrota na Liga. Os “galos” ainda não venceram esta época e são últimos. Os “guerreiros”, por outro lado, somaram o quinto triunfo e subiram ao quinto lugar.

Após o nulo ao intervalo, foi apenas nos últimos 10 minutos que os bracarenses “desataram” o nó do empate. Através de recargas, o colombiano Felipe Pardo, aos 82 minutos, e Pedro Santos, aos 84, assinaram os golos do triunfo da equipa de Sérgio Conceição.


Belenenses a dois pontos do FC Porto
Ainda pelo Minho, mas no domingo à tarde, o Belenenses venceu em Moreira de Cónegos, com um penálti sofrido e concretizado pelo suplente Tiago Silva, 18 minutos depois de ter entrado no jogo aos 70. Os azuis assumiram o quarto lugar, com 20 pontos, a dois do FC Porto.


No Bessa, numa partida com 15 (!) minutos de compensação, devido a várias interrupções – a mais longa a pedido do árbitro para que fossem ligados mais holofotes no estádio, o guarda-redes iraniano do Penafiel foi a figura do jogo. Haghighi travou e venceu um duelo intenso com o nigeriano, Michael Uchebo. O dono da baliza dos durienses só não conseguiu foi travar o remate de Carlos Santos, aos… 99 minutos.

Oitava derrota para o Penafiel, que se mantém em penúltimo (4 pontos), e terceira vitória para o Boavista, que subiu ao 13° lugar, com os mesmos pontos do Estoril.

Em Setúbal, um golo do jovem brasileiro Giovani da Rosa permitiu à equipa de Domingos Paciência somar a terceira vitória e colar-se ao Marítimo na tabela: os insulares são 10.°s (12 pontos), os sadinos, 11.°s (11). O Rio Ave-Académica fecha, esta segunda-feira, a 10.a jornada.

Resultados da jornada 10
Arouca-Guimarães, 1-2
Sp. Braga-Gil Vicente, 2-0
Nacional-Benfica, 1-2
Boavista-Penafiel, 1-0
Moreirense-Belenenses, 0-1
V. Setúbal-Marítimo, 1-0
Sporting-P. Ferreira, 1-1
Estoril-FC Porto, 2-2
Rio Ave-Académica (segunda-feira)

Próxima jornada, a 11.a
Guimarães-Moreirense (28 novembro)
Penafiel-Sp. Braga (29 novembro)
Sporting-V. Setúbal
Belenenses-Arouca (30 novembro)
Gil Vicente-Nacional
Marítimo-Boavista
Académica-Benfica
FC Porto-Rio Ave
P. Ferreira-Estoril (1 dezembro)