Última hora

Última hora

Modávia: um país entre a espada e a parede

Em leitura:

Modávia: um país entre a espada e a parede

Tamanho do texto Aa Aa

Os resultados das eleições legislativas na Moldávia prometem ditar a orientação do país em relação à União Europeia.

As ameaças de Moscovo e o exemplo ucraniano estão a dividir a população.

Os partidos pró-russos prometem, por exemplo, rasgar o Acordo de Associação com a União Europeia.

No outro campo, estão liberais e democráticos que reconhecem o peso dos adversários no contexto político do país.

“É desejável que os comunistas possam representar uma força política construtiva. Nesse caso teríamos duas coligações: uma pró europeia e outra de oposição. Depois era uma questão de encontrar uma forma para trabalhar em conjunto” refere Dumitru Diacov, líder do Partido Democrático.

O Partido Pátria foi impedido de se apresentar na corrida eleitoral, alegadamente, por financiamento estrangeiro ilegal. Mas o líder da formação pró-russa acredita há outra razão.

“Dada a exclusão de um partido chave na corrida eleitoral pensamos que o resultado está decidido à partida” refere Ilian Casu do Partido Pátria.

Os cerca de três milhões de eleitores escolhem entre mais de 20 forças políticas. As últimas sondagens revelam que está tudo em aberto.

Euronews: “estas eleições estão a ficar marcadas por várias polémicas que podem, de alguma forma, influenciar o resultado final. As aspirações do país parecem estar mais próximas da Europa, mas o futuro governo vai, também, de ter em conta outras aspirações.”