Última hora

Última hora

Jihadistas do EI retiram de Sinjar

Após três dias de intensos combates com os jihadistas do Estado Islâmico, peshmergas curdos entraram na cidade de Sinjar localizada, 120 quilómetros

Em leitura:

Jihadistas do EI retiram de Sinjar

Tamanho do texto Aa Aa

Após três dias de intensos combates com os jihadistas do Estado Islâmico, peshmergas curdos entraram na cidade de Sinjar localizada, 120 quilómetros a oeste de Mossul.

A ofensiva terrestre, com tanques e artilharia pesada, teve cobertura aérea de aviões da coligação internacional que bombardearam alvos e esconderijos do Estado Islâmico.

A ofensiva começou na província de Dahuk, no Curdistão iraquiano, de onde uma coluna avançou para sul e outra para leste.

Pelo menos 135 jihadistas morreram e 40 foram feridos desde o início da ofensiva na quarta-feira. Entre os peshmergas curdos, sete morreram e mais de dezena e meia ficou ferida.

“A luta agora é em Sinjar e já libertamos grande parte da cidade. Na última noite tentaram atacar duas ou três vezes, mas sem sucesso. Os que sobreviveram fugiram para a Jordânia e para a Síria”, disse um peshmerga curdo.

O presidente do Curdistão iraquiano, Massud Barzani, visitou Sinjar para manifestar apoio aos que participaram na ofensiva.

Após terem chegado ao cume do monte Sinjar, rompendo o cerco imposto pelos jihadistas a milhares de yazidis, aí refugiados, as tropas curdas abriram um corredor de segurança para evacuar os civis, mas os combates com os extremistas ainda prosseguem na região.