Última hora

Última hora

Barcelona despede Zubizarreta com Messi a ajudar à crise

Fim da linha para Andoni Zubizarreta como diretor desportivo do Barcelona. O vice-campeão espanhol está cada vez mais embrenhado numa crise

Em leitura:

Barcelona despede Zubizarreta com Messi a ajudar à crise

Tamanho do texto Aa Aa

Fim da linha para Andoni Zubizarreta como diretor desportivo do Barcelona. O vice-campeão espanhol está cada vez mais embrenhado numa crise desportiva e diretiva. A polémica já envolve inclusive a estrela maior da equipa, Lionel Messi.

Na sequência da derrota (1-0) deste domingo diante a Real Sociedad, Zubizarreta criticou publicamente o presidente do “Barça”, em declarações ao Canal+, e deixou no ar que Josep Maria Bartomeu será o máximo responsável pela sanção aplicada pela FIFA ao clube, por causa da contratação irregular de jogadores menores de idade, e que impede os catalães de se reforçarem no mercado de transferências na presente janela de inverno e na do próximo verão.

Veja aqui as polémicas declarações de Andoni Zubizarreta

Uma ligação forte que se rompe

Antigo guarda-redes do Barcelona, “Zubi” defendeu a baliza “blaugrana” em 410 partidas e sofreu 348 golos. Foi ainda campeão europeu (1991/92), ganhou uma Supertaça Europeia (1992), uma Taça das Taças (1988/89), quatro Ligas espanholas, uma taça do Rei e uma Supertaça de Espanha.

Deixou o clube, como jogador, em 1994. Regressou, em 2010, como diretor para o futebol, pela mão do então presidente Sandro Rosell, sucedendo no cargo ao antigo colega de equipa Txiki Beguiristain para trabalhar ao lado de Pep Guardiola, o então treinador.

Em quatro anos e meio, teve de gerir a polémica criada em torno da transferência de Neymar, as várias renovações exigidas por Lionel Messi para continuar no clube, a doença do treinador Tito Vilanova, a aposta falhada no técnico argentino Tata Martino (que se diz em surdina ter sido uma exigência de Messi), a demissão de Sandro Rosell, a aposta pessoal em Luis Enrique no último verão e as críticas constantes por causa das várias contratações falhadas. Com Zubizarreta a gerir o futebol, de acordo com as contas do jornal espanhol As, o Barcelona investiu quase 500 milhões de euros.

Puyol também se despede
Após ser conhecida a saída do agora diretor desportivo, também Carles Puyol lhe seguiu os passos. O antigo defesa central e capitão dos catalães, que pendurou as botas no final da época passada e havia voltado ao clube há poucos meses como assistente de Zubizarreta depois de completar um curso em gestão desportiva, anunciou novo adeus ao “Barça”. Puyol é um dos nomes na lista de eventuais sucessores e essa possibilidade não estará de todo ainda riscada, porém o próprio confessou pretender agora lançar-se à procura da primeira experiência a sério como dirigente e fora de Camp Nou.

Luis Enrique, entretanto, está também na corda bamba. Os resultados não têm sido os melhores e o treinador terá entrado também em choque com Messi. O jornal catalão Mundo Deportivo revelou que os dois tiveram uma discussão bem acesa no decorrer do primeiro treino deste ano, na passada sexta-feira. No jogo de domingo, Luis Enrique deixou Messi (e Neymar) no banco. Embora o treinador tenha assumido após o jogo que, sabendo o que sabia depois da derrota, talvez tivesse sido um erro, a verdade é que o craque argentino, garante o jornal, terá manifestado com alguma veemência o desagrado por ter ficado no banco e terá discutido de novo com o treinador.

No regresso dos catalães ao trabalho, esta segunda-feira de manhã, numa sessão aberta aos adeptos, saltou à vista a ausência de Messi no relvado. O clube garantiu que foi por questões médicas que o argentino não trabalhou junto da restante equipa, mas a especulação sobe de tom em Barcelona, assim como as críticas à equipa e ao treinador. Curiosa é a publicação na conta oficial do Barcelona nas redes sociais de uma declaração, no mínimo inapropriada para o atual momento, do croata Ivan Rakitic.

A direção do Barcelona marcou, entretanto, para quarta-feira uma reunião de trabalho, em que o único ponto na ordem do dia é a discussão do que o clube pode fazer após a confirmação pelo Tribunal Arbitral do Desporto da suspensão da FIFA. Mas a demissão de Zubizarreta e a situação de Luis Enrique não deverão ficar à margem. O presidente Josep Bartomeu prometeu para o final da tarde de quarta-feira uma conferência de imprensa. Promete.