Última hora

Última hora

Em Madrid manda o Atlético, em França a luta é a três

O fim de semana passado foi fértil em dérbis um pouco por toda a Europa. Em Londres, o Arsenal foi a White Hart Lane derrotar o Tottenham por 2-1, em

Em leitura:

Em Madrid manda o Atlético, em França a luta é a três

Tamanho do texto Aa Aa

O fim de semana passado foi fértil em dérbis um pouco por toda a Europa. Em Londres, o Arsenal foi a White Hart Lane derrotar o Tottenham por 2-1, em Goodison Park, Everton e Liverpool não foram além de um empate a zero e em Lisboa, Jardel impediu que o Benfica fosse (merecidamente) derrotado pelo Sporting com um golo já nos descontos. No entanto o grande destaque só pode ir para o dérbi de Madrid, onde o Atlético vulgarizou o Real.

Uma derrota deixaria os colchoneros praticamente afastados da luta pelo título mas a equipa de Simeone não fez a coisa por menos e goleou o Real por quatro bolas a zero. Um resultado que até podia ser mais dilatado tamanha foi a diferença entre as duas equipas.

Os merengues continuam na liderança mas a pesada derrota promete fazer mossa no balneário, até porque não impediu Cristiano Ronaldo de festejar o aniversário pela noite fora.

Aproveitou o Barcelona, que se colocou a um ponto do Real depois de vencer em Bilbau por 5-2. Lionel Messi mais uma vez fez história.

Luta a três

No campeonato francês o equilíbrio é a nota dominante, com dois pontos a separarem os três primeiros classificados. No jogo grande do Stade de Gerland, Lyon e Paris Saint-Germain dividiram os pontos, um resultado que manteve os lioneses na frente.

Anthony Lopes brilhou entre os postes na equipa da casa, só foi batido de penálti por Zlatan Ibrahimović e mesmo assim só à segunda.

Quem não soube aproveitar foi o Marselha, que também empatou em Rennes e perdeu a oportunidade para se juntar ao Lyon na frente.

Infelizmente, o equilíbrio parece limitar-se a Espanha e França. Nos restantes campeonatos de elite na Europa, Chelsea, Bayern e Juventus parecem cada vez mais seguir imparáveis rumo a mais um título.

África no melhor e no pior

A geração de ouro da Costa do Marfim conseguiu finalmente conquistar o título mais cobiçado do futebol africano. Após uma final sem golos frente ao Gana, os elefantes impuseram-se nos penáltis e repetiram o triunfo de 1992.

No entanto nem tudo foram rosas na Taça das Nações, na Guiné Equatorial. O comportamento violento dos adeptos da equipa da casa obrigou a uma interrupção de 40 minutos na meia-final frente ao Gana e provocou vários feridos.

Uma situação lamentável, mas menos grave que a vivida no Cairo, este domingo. Confrontos entre adeptos do Zamalek e a polícia provocaram vários mortos. O campeonato egípcio foi imediatamente suspenso… uma vez mais.

O primeiro milionário de Inglaterra

Nos dias que correm os clubes europeus não hesitam em pagar vários milhões pelos melhores jogadores no mercado. Nem sempre foi assim. Há 36 anos, Trevor Francis foi contratado pelo Nottingham Forest e tornou-se no primeiro futebolista a ultrapassar a barreira do milhão em Inglaterra.

A 9 de fevereiro de 1979 o atacante foi apresentado por Brian Clough, que para retirar a pressão sobre o jogador anunciou que tinha pago 999 999£. Somadas as taxas, a transferência ultrapassou largamente a quantia indicada pelo mítico treinador.

Três meses depois a aposta estava ganha, com Trevor Francis a apontar de cabeça o único golo na final da Taça dos Campeões Europeus frente ao Malmö.

Provavelmente estamos errados

Nem nos temos saído mal nas últimas previsões. A semana passada até conseguimos acertar no empate entre Sporting e Benfica. Falhámos no número de golos em Alvalade, mas se as equipas não remataram à baliza a culpa não é nossa…

Apesar de tudo mantemos os pés bem assentes na terra e sabemos que para o próximo fim de semana o mais provável é marcarmos mais um autogolo.

O Chelsea parece seguir imparável rumo ao título inglês e acreditamos que não sentirá grandes dificuldades para derrotar o Everton em Stamford Bridge.

Já o Wolfsburg, adversário do Sporting na Liga Europa, atravessa um excelente momento de forma e depois de marcar quatro ao Bayern, porque não três ao Leverkusen?

Se acha que não podíamos estar mais errados, partilhe os seus prognósticos nas redes sociais usando a hashtag #TheCornerScores.