Última hora

Última hora

É o adeus a Boris Nemtsov

Milhares de pessoas prestaram, hoje, a última homenagem a Boris Nemtsov. O corpo do opositor russo esteve quatro horas em câmara ardente no Centro

Em leitura:

É o adeus a Boris Nemtsov

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas prestaram, hoje, a última homenagem a Boris Nemtsov.

O corpo do opositor russo esteve quatro horas em câmara ardente no Centro Sakharov seguindo depois para o cemitério de Troekurovskoye, localizado na zona oeste de Moscovo. O mesmo onde foi enterrada Anna Politkovskaya, a jornalista assassinada a 7 de outubro de 2006.

Cidadãos anónimos e várias figuras públicas marcam presença na cerimónia como, por exemplo, o antigo chefe de Governo britânico, John Major.

Muitas outras ficaram, no entanto, à porta. É o caso de uma eurodeputada letã que viu recusada a entrada na Rússia para assistir ao funeral de Nemtsov.

Também, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros polaco declarou que o presidente do Senado foi impedido de entrar.

Nemtsov, era um dos maiores críticos de Vladimir Putin e da ingerência russa na Ucrânia.

Atualmente estava a trabalhar num relatório que dizia ia permitir provar o envolvimento militar russo na revolta dos separatistas no leste do país.

O líder da oposição que exigia o fim da guerra na Ucrânia foi assassinado há quatro dias perto do Kremlin. Esta terça-feira, Nemtsov foi condecorado a título póstumo com a Ordem da Liberdade, pelo chefe de Estado ucraniano.

No domingo, dezenas de milhares de russos marcharam na capital em homenagem ao homem que dizem ter morrido “a lutar por uma Rússia livre.”