Última hora

Última hora

Mulher morta no ataque à polícia de Istambul era militante conhecida

Elif Sultan Kalsen, uma das figuras de proa do movimento de extrema-esquerda que sequestrou e matou um procurador na terça-feira, foi morta a tiro depois de um ataque falhado contra a polícia de Istam

Em leitura:

Mulher morta no ataque à polícia de Istambul era militante conhecida

Tamanho do texto Aa Aa

Uma mulher foi morta num tiroteio, esta quarta-feira, à porta do quartel-general da polícia de Istambul, na Turquia. A polícia identificou-a como sendo Elif Sultan Kalsen, uma conhecida militante do mesmo grupo armado de extrema-esquerda que sequestrou e matou um procurador, na terça-feira.

Kalsen atacou as instalações do quartel-general da polícia. Primeiro, ao lançar granadas e depois abrindo fogo. Pelo menos um agente ficou ferido. Os polícias ripostaram e abateram Kalsen. Um outro homem, que participava num protesto nas redondezas, foi preso, mas aparentemente não tem nada a ver com o ataque.

Este parece ser o novo episódio numa série de atos violentos que estão a abalar o país num curto espaço de tempo: “Primeiro, a crise dos reféns no tribunal e agora este ataque ao quartel-general da polícia. Em 24 horas, Istambul ficou chocada com estes dois grandes ataques. Os olhos estão agora postos nas medidas de segurança que vão ser postas em prática na cidade”, relata o correspondente da euronews em Istambul, Bora Bayraktar.