Última hora

Última hora

Vulcão Calbuco continua a "fumar" e já obrigou a deslocar 6.400 pessoas

Erupções na América do Sul e Central afetam ligações aéreas. Situação no Chile conntnua preocupante

Em leitura:

Vulcão Calbuco continua a "fumar" e já obrigou a deslocar 6.400 pessoas

Tamanho do texto Aa Aa

O vulcão Cabulco continua a libertar fumo e a afetar o espaço aéreo no Chile e nos países vizinhos. Raros foram os aviões que esta sexta-feira voaram, por exemplo, na Argentina.

O vulcão entrou em erupção na quarta-feira após 42 anos de inatividade e, esta sexta-feira, pela manhã, voltou a libertar muito fumo. Cerca de 6.400 pessoas já foram obrigadas a deixar as suas casas. As últimas duas mil foram evacuadas esta sexta-feira à tarde das localidades de Chamiza, Lago Chapo e Correntoso, na região de Los Lagos.

O motivo para esta última evacuação foi a deteção pelos serviços chilenos de geologia de um fluxo de sedimentos e água a escorrer na lateral do vulcão para o rio Correntoso. O perigo do rio transbordar e provocar inundações nas zonas povoadas levou as autoridades a “jogar” pelo seguro.

O estado de exceção e catástrofe mantém-se para as zonas vizinhas do vulcão. A zona de exclusão estende-se por um perímetro de 20 quilómetros em torno do maciço do Calbuco.

Esta sexta-feira, houve registo de 1.600 sismos em consequência da atividade do vulcão, que se eleva a uma altitude de 2.015 metros acima do nível do mar.

“Não está descartado que nas próximas horas aconteça uma nova erupção. Não será, provavelmente da mesma intensidade energética dos anteriores, mas continuamos em alerta vermelho e com uma situação complicada”, advertiu o diretor do Serviço Nacional de Geologia, Rodrigo Álvarez.

Turrialba também “fechou” aeroporto na Costa Rica

Na América Central, o aeroporto internacional de Juan Santamaría, em São José, capital da Costa Rica, já reabriu depois de ter estado 10 horas encerrado por falta de condições de segurança aérea devido à atividade de um outro vulcão.

A porta-voz da Aeris, a empresa administradora, disse à agência espanhola EFE que o aeroporto voltou a operar às 04 horas locais da madrugada (11h em Lisboa) desta sexta-feira e que os voos voltaram a decorrer em “segurança e sem problemas.”

Os voos foram suspensos na quinta-feira às 18 horas locais (01h00 de sexta-feira em Lisboa) por causa das cinzas do vulcão Turrialba, situado a 70 quilómetros de São José, que cobriram a zona do aeroporto.

As ligações foram retomadas pela manhã depois das equipas técnicas terem limpo a pista e os técnicos garantido a segurança do transporte aéreo. No total, 18 voos foram afetados pelo vulcão Turrialba, acrescentou a porta-voz.