Última hora

Última hora

Sismo no Nepal: UE soma 3 milhões de euros à ajuda oferecida por 13 Estados-membros

A ajuda internacional foca-se no Nepal. Balanço de mortos não para de subir

Em leitura:

Sismo no Nepal: UE soma 3 milhões de euros à ajuda oferecida por 13 Estados-membros

Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia aprovou um fundo de ajuda financeira imediata de 3 milhões de euros para ajudar as vítimas do Nepal. Esta cifra soma-se à ajuda individual de 13 dos 28 Estados-membros da União Europeia (UE), entre eles o Reino Unido, que avançou com mais de 4 milhões de euros.

O Governo de Portugal ainda se pronunciou sobre o envio de ajuda para o pequeno país asiático a viver um autêntico “pesadelo” desde sábado e, no qual, estariam pelo menos 14 portugueses no momento do sismo de magnitude 7.9 na escala de Richter.

Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Itália, Luxemburgo, Polónia e Reino Unido são, para já, os Estados-membros que avançaram. A eles, soma-se também a Noruega, país integrante do espaço Schengen, que ofereceu ao Nepal cerca de 3,5 milhões de euros.

Aos 3 milhões de euros, a Comissão Europeia junta ainda a respetiva equipa de especialistas em ajuda humanitária e proteção civil, que já seguiu para as áreas de crise. O comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, disse ter mobilizado “todos os meios de resposta de emergência para ajudar os sobreviventes e as autoridades”.

A ajuda monetária, entretanto, pode aumentar. “Tivemos uma reunião de emergência com os Estados-membros, vários parceiros internacionais, as Nações Unidas, os países vizinhos e a Comissão Europeia. Estamos a analisar se as necessidades (do Nepal) aumentam e como poderemos responder se aumentarem”, revelou Catherine Ray, a porta-voz de Federica Mogherini, a Alta Responsável pela Política Externa da UE.

Levantamento dos cidadãos estrangeiros no Nepal no momento do sismo


O grosso da ajuda, no entanto, provém de organizações humanitárias como a Cruz Vermelha, a Organização Mundial de Saúde ou a Unicef. Os apelos de ONG, em nome das vítimas, sucedem-se. Veja em baixo como pode ajudar o Nepal através destes organismos.