This content is not available in your region

Alemanha detém presumíveis terroristas e evita alegado atentado

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com LUSA, REUTERS, DIE WELT
Alemanha detém presumíveis terroristas e evita alegado atentado

<p>A polícia alemã deteve na madrugada desta quinta-feira, perto de Frankfurt, dois alegados terroristas e acredita ter evitado um iminente atentado à bomba.</p> <p>Os suspeitos, um homem e uma mulher identificados pelo jornal Die Welt como Halil e Senay D., são um casal e estariam ligados a um grupo salafista. Foram detidos na localidade de Oberursel, próxima da capital financeira alemã.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"align="center><p lang="de" dir="ltr"><span class="caps">JETZT</span> live: Pressekonferenz in Wiesbaden zum vereitelten Terroranschlag in <a href="https://twitter.com/hashtag/Oberursel?src=hash">#Oberursel</a> <a href="http://t.co/XK9JUNE2l1">http://t.co/XK9JUNE2l1</a> <a href="http://t.co/WRcSZRa1GS">pic.twitter.com/WRcSZRa1GS</a></p>— N24 (@N24) <a href="https://twitter.com/N24/status/593784887724892160">30 abril 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> O jornal Die Welt adiantou que a polícia forense germânica foi ao apartamento usado pelo presumível casal. A polícia, num primeiro momento, escusou-se a dar pormenores, mas já pela tarde, em conferência de imprensa, o procurador público Albrecht Schreiber revelou que as buscas permitiram descobrir uma espingarda automática de assalto, 100 carregadores de munição, químicos usados normalmente para preparar bombas caseiras e um recipiente com petróleo. <p>Com vários eventos este fim de semana, envolvendo muitas pessoas, incluindo uma prova de ciclismo, a May Day, que se corre esta sexta-feira, as forças policiais alargaram o perímetro das buscas. A zona do percurso da corrida, onde um dos suspeitos, o homem, teria sido visto nos últimos dias, foi “varrida” pelos investigadores.</p> <blockquote class="twitter-video" lang="pt"align="center"><p lang="de" dir="ltr">Mutmaßlich salafistischer Anschlag vereitelt: Rohrbombe und Waffen bei einem Ehepaar in <a href="https://twitter.com/hashtag/Oberursel?src=hash">#Oberursel</a> sichergestellt <a href="https://t.co/8sHDrwLTc5">https://t.co/8sHDrwLTc5</a></p>— N24 (@N24) <a href="https://twitter.com/N24/status/593733845087703041">30 abril 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> O ministro do Interior de Hesse, Peter Beuth, garantiu que “as investigações da polícia indicam que foi possível prevenir um ataque terrorista”. “Este incidente mostrou-nos que todos nos devemos manter bem alertas”, acrescentou. <p>O chefe da polícia de Hesse, Stefan Mueller, revelou que o suspeito detido tem 35 anos, dupla nacionalidade turco germânica e cadastro criminal. A mulher, também detida, é turca. O casal tem dois filhos, que estavam na habitação e que ficaram à guarda dos serviços sociais.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"align="center"><p lang="de" dir="ltr">Es geht los! Pressekonferenz zur <a href="https://twitter.com/hashtag/Festnahme?src=hash">#Festnahme</a> des <a href="https://twitter.com/hashtag/Terror?src=hash">#Terror</a>-Paars in <a href="https://twitter.com/hashtag/Oberursel?src=hash">#Oberursel</a> <a href="http://t.co/iGn8BfxQEt">pic.twitter.com/iGn8BfxQEt</a></p>— <span class="caps">BILD</span>_Frankfurt (@BILD_Frankfurt) <a href="https://twitter.com/BILD_Frankfurt/status/593785147511693312">30 abril 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> A Alemanha está, atualmente, sob um “alto risco abstrato” de terrorismo, ou seja, há um risco assumido, mas sem qualquer ameaça concreta. Os salafistas são um grupo que defende o radicalismo islâmico e os serviços de inteligência germânicos (BfV) acreditam que está a crescer, à imagem dos recrutas do grupo Estado Islâmico. O BfV estima que 450 pessoas tenham já viajado da Alemanha para a Síria ou para o Iraque para se aliarem aos “jihadistas” que andam a espalhar o terror naquelas zonas.