Última hora

Última hora

Lyon: Uma história de amor entre jardineiros e rosas

Em leitura:

Lyon: Uma história de amor entre jardineiros e rosas

Tamanho do texto Aa Aa

O amor entre os jardineiros e as rosas é evidente, no Parque de la Tête d’Or, na cidade francesa de Lyon. A história das rosas, em Lyon, começou em

O amor entre os jardineiros e as rosas é evidente, no Parque de la Tête d’Or, na cidade francesa de Lyon. A história das rosas, em Lyon, começou em 1830. Ao longo dos anos, várias gerações de jardineiros desenvolveram três mil variedades desta flor: como a espécie “Gloria Dei”, de Francis Meilland. O filho, Alain Meilland, perpetua uma tradição secular da família.

Alain Meilland vê as rosas como seres humanos. Começam a vida como crianças e depois tornam-se adultas. Para ele, estas flores são um excelente meio de comunicação entre as pessoas. Mas a criação de uma rosa requer um trabalho minucioso. O processo de criação de uma nova variedade pode demorar entre 8 e 10 dias.

Lyon é uma cidade muito importante para a rosa há quase dois séculos. Trabalham aqui 10 jardineiros, inteiramente dedicados a esta flor. A cidade é considerada o primeiro centro de criação de rosas da Europa. E, no passado fim de semana, acolheu o 17º Congresso Mundial da Rosa. Até os estudantes de moda de Lyon têm trabalhado no tema da rosa e as suas criações foram inspiradas nesta flor – repleta de simbolismo.

  • Lyon City of Roses

    May 28, 2015. REUTERS/Robert Pratta

  • Lyon City of Roses

    May 28, 2015. REUTERS/Robert Pratta

  • Lyon City of Roses

    May 28, 2015. REUTERS/Robert Pratta

  • Lyon City of Roses

    May 28, 2015. REUTERS/Robert Pratta

  • Lyon City of Roses

    May 28, 2015. REUTERS/Robert Pratta

  • Lyon City of Roses

    May 28, 2015. REUTERS/Robert Pratta