Última hora

Última hora

Irão: EIIL em cartoons

Em leitura:

Irão: EIIL em cartoons

Tamanho do texto Aa Aa

O Museu de Arte Contemporânea Palestina, em Teerão, acolheu uma exposição com caricaturas sobre o grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante. Os

O Museu de Arte Contemporânea Palestina, em Teerão, acolheu uma exposição com caricaturas sobre o grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

Os artistas recorrem à ironia para retratar a barbárie do EIIL.

A exposição resultou de um concurso promovido pela “Casa iraniana de desenhos”, em Teerão, que tinha como objetivo recolher “cartoons” que retratassem as ações do grupo jihadista Daesh, o nome árabe do grupo Estado Islâmico.

“Os artistas têm tentado apresentar os objetivos visíveis e ocultos do EIIL. Estas caricaturas podem mostrar à sociedade a violência e as motivações desse grupo extremista e reduzir, também, o impacto da sua propaganda,” diz o jornalista, Reza Ghobeishavi.

O grupo Estado Islâmico é um movimento sunita ultra fundamentalista que vê os xiitas como hereges, acabando opor persegui-los. O Irão é uma teocracia xiita.

Para os caricaturistas foi um risco mostrarem o seu trabalho em público.

1.15 Interview with (Director, Iranian House of Cartoon) :

O diretor da “Casa Iraniana de Desenhos”, Massoud Shojai Tabatabai, informa que “um ou dois cartoonistas iranianos foram ameaçados. Alguns artistas de países árabes ou ocidentais tiveram de participar sob um pseudónimo, pois podiam tentar algo contra a sua segurança.”

Os organizadores da exposição afirmam querer promover uma cultura de resistência. Utilizar a arte contemporânea como forma de luta.

Esta é, também, uma maneira de promover o intercâmbio e o diálogo entre artistas iranianos e de outros países.

O caricaturista Amir Dehghan ficou em segundo lugar no concurso.

“Trabalhámos aqui uma questão que está a perturbar o mundo inteiro. Qualquer pessoa, seja qual for a crença ou ideologia, fica triste com estas brutalidades. Fizemos o melhor que pudemos para mostrar o absurdo do EIIL e as reivindicações dos seus apoiantes. Honestamente, para mim, o próprio EIIL é uma caricatura”, afirma o artista.

Por vezes, onde falham as palavras, uma imagem consegue fazer passar a mensagem de forma universal e inequívoca.

Para um visitante, “uma imagem não precisa de palavras, retrata aquilo que é. Pode ser impossível descrever os crimes do EIIL, mesmo com milhares de palavras, no entanto, você podemos mostrá-los, facilmente, numa imagem, que é compreendida por todos, analfabetos ou intelectuais.”

A exposição pode ser visitada na internet.

Em breve, a mostra ruma a países que lutam contra a expansão do grupo Estado Islâmico, no seu território, como o Iraque, a Síria ou o Líbano.