Última hora

Última hora

PM húngaro diz que crise dos refugiados pode desestabilizar a Europa

O Primeiro-ministro húngaro afirmou, esta quarta-feira, na Assembleia-geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, que a Europa corre o risco de ser «

Em leitura:

PM húngaro diz que crise dos refugiados pode desestabilizar a Europa

Tamanho do texto Aa Aa

O Primeiro-ministro húngaro afirmou, esta quarta-feira, na Assembleia-geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, que a Europa corre o risco de ser « desestabilizada » pela crise dos migrantes. As centenas que continuam a chegar, diariamente, à Europa.

Segundo o Alto-comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres, o número de deslocados, devido aos conflitos, quadruplicou. O que, para o chefe do executivo húngaro, cria problemas à Europa:

“Às fronteiras húngaras chegam pessoas da Síria, Iraque, Paquistão, Afeganistão e, mais recentemente, da região subsariana. Quero deixar, absolutamente, claro, que a Europa não será capaz de carregar sozinha este fardo. Se esta situação continuar a Europa vai ficar desestabilizada.”

A Turquia, que está a receber milhares de refugiados, diz que o país tem feito o possível para acolhê-los. Mas também aqui há problemas:

“O número total de sírios, na Turquia, é agora de mais de 2 milhões. Há perto de 260.000 sírios alojados em campos. Em algumas cidades turcas na fronteira, há mais sírios do que turcos. Em Kilis, por exemplo, 54% das pessoas são sírias, os turcos tornaram-se uma minoria”, afirmou o chefe do executivo turco.

O Primeiro-ministro turco aponta falhas, da comunidade internacional, na resolução da crise síria. Já o Secretário-geral da ONU afirmou que: “o futuro não pertence aos que procuram construir muros ou explorar os medos.”