Última hora

Última hora

Obama pede "união" contra a violência com armas de fogo em dia de mais dois tiroteios nos Estados Unidos

Mais dois tiroteios mortíferos nos Estados Unidos, esta sexta-feira, dia em que o presidente Barack Obama esteve reunido, no Oregon, com os familiares das vítimas de outra tragédia semelhante.

Em leitura:

Obama pede "união" contra a violência com armas de fogo em dia de mais dois tiroteios nos Estados Unidos

Tamanho do texto Aa Aa

Mais dois tiroteios mortíferos nos Estados Unidos, esta sexta-feira, dia em que o presidente Barack Obama esteve reunido, no Oregon, com os familiares das vítimas de outra tragédia semelhante, que matou nove pessoas na semana passada.

No Texas, um estudante morreu e outra pessoa ficou ferida num tiroteio num bloco residencial junto ao campus da Universidade do Sul do Texas (TSU), em Houston.

Em Flagstaff, no Arizona, um estudante morreu e outros três ficaram feridos poucas horas antes de Obama chegar ao Oregon para um encontro privado com as vítimas do tiroteio numa faculdade de Roseburg.

No final da reunião, que durou cerca de uma hora, o presidente dos Estados Unidos apelou à “união” de todos os norte-americanos para “acabar” com estas tragédias. Na véspera da visita de Obama ao Oregon, os democratas no Senado apresentaram uma lista de medidas para tentar controlar a violência com armas de fogo. No entanto, há duas décadas que o Congresso não aprova qualquer lei para restringir a venda de armas.

Desde o massacre de 2012, na escola primária Sandy Hook, em Newtown, no Connecticut, onde morreram 20 crianças e seis adultos, os Estados Unidos têm sido palco, em média, de um tiroteio por semana em estabelecimentos de ensino.