Última hora

Em leitura:

Prémios do cinema europeu decorrem este sábado


cinema

Prémios do cinema europeu decorrem este sábado

Em parceria com

A vigésima oitava edição dos prémios do cinema europeu decorre no próximo sábado, dia em que se ficará também a conhecer o melhor documentário do ano. “Amy”, sobre a cantora e compositora Amy Winehouse, dirigido por Asif Kapadia, é um dos candidatos. A película tornou-se no documentário britânico com maior êxito de bilheteira de todos os tempos.

““Dancing with Maria”“:http://www.europeanfilmawards.eu/en_EN/film/dancing-with-maria.3714#2015-nominated é o retrato de Maria Fux, dançarina argentina, que encontrou no vento o ritmo ideal para reproduzir, pela dança, os movimentos de uma folha a cair no outono. Aos 90 anos Maria Flux continua a dançar e a ensinar esta arte em Buenos Aires.

“Toto and His Sisters” acompanha Toto e as suas irmãs adolescentes na sua luta diária para sobreviverem num bairro dos subúrbios de Bucareste depois da sua mãe ter sido detida por tráfico de drogas. O documentário foi filmado, maioritariamente, durante um ateliê no qual as crianças participaram.

“O filme foi feito para que não se sentisse a presença do realizador, ultrapassámos as fronteiras do documentário clássico. Para o espectador é como assistir a um filme de ação com pessoas reais, mas nada foi encenado”, explica o cineasta, Alexander Nanau.

“A Syrian Love Story”, documentário do britânico Sean McAllister, conta a história de amor de Amer e Raghda quando estavam na prisão. Ele um lutador pela liberdade da Palestina, ela uma revolucionária síria. Quinze anos depois, Raghda está de novo na prisão por escrever um romance onde critica o presidente Bashar al-Assad. O próprio realizador foi detido durante a rodagem na Síria.

“The Look of Silence” retrata o derramamento de sangue na Indonésia entre 1965 e 1966. O documentário gira em torno de um indonésio cujo irmão foi, brutalmente, assassinado. O realizador, Joshua Oppenheimer, retrata, pela segunda vez, histórias da vida real na Indonésia.

Dos documentários às melhores longas-metragens de animação. “A Ovelha Choné” conta a história de uma ovelha travessa e do seu rebanho numa cruzada pela cidade para salvar o seu pastor. O filme foi escrito e dirigido por Richard Starzack e Mark Burton:

“O filme fala sobre a importância de apreciar o que se tem ou o se perdeu. Aprender a apreciar o que se tem”, diz Starzack. “Com muita palhaçada pelo meio…”, acrescenta Burton.

“Song of the Sea” retrata dois irmãos irlandeses, ela uma Selkie, uma menina que se transforma em foca, um ser mitológico presente no folclore irlandês, mas também escocês e finlandês. O filme é uma aventura, pelos mares, que nos remete para o imaginário infantil, para um mundo mágico e espiritual.

“Desenhámos, de facto, uma lenda irlandesa, do folclore irlandês, mas penso que há algo de universal nessas histórias que chamam a atenção do mundo. É um trabalho duro encontrar financiamento, construir a história, certificar-se de que é uma boa história, que vai funcionar e depois temos cerca de 2 anos de trabalho pela frente para cerca de 200 pessoas foi o que precisámos para fazer este filme”, adianta o realizador, Tomm Moore.

Terminamos com a produção francesa de animação “Adama”. A história de uma criança que vive numa aldeia remota do oeste africano e na sua longa jornada para encontrar o seu irmão mais velho que está desaparecido.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

cinema

Uma avó diferente das outras