This content is not available in your region

Requerentes de asilo condenados pela justiça alemã podem vir a ser expulsos

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP, Reuters
Requerentes de asilo condenados pela justiça alemã podem vir a ser expulsos

<p>A <span class="caps">CDU</span> de Angela Merkel aprovou, este sábado, uma declaração na qual propõe que se retire o direito de asilo aos refugiados condenados a prisão ou que se encontrem em liberdade condicional e que se criem regras que permitam a deportação de delinquentes estrangeiros, mais facilmente. </p> <p>Uma decisão tomada depois dos acontecimentos da noite de Ano Novo, assaltos e violência sexual, que terminaram com duas centenas de queixas na polícia, duas delas por violação. Uma informação avançada pelo jornal alemão Der Spiegel. </p> <p>Angela Merkel explicou as propostas da <span class="caps">CDU</span>: </p> <p>“O direito ao estatuto de residente e ao pedido de asilo pode ser perdido se a pessoa for condenada a prisão ou a permanecer em liberdade condicional. Os criminosos reincidentes, por roubo ou responsáveis por ofensas contra as mulheres, devem sentir a força da lei”, afirmou a chanceler alemã. </p> <p>Este sábado as manifestações multiplicaram-se. Nas proximidades da estação de Colónia dois grupos marcavam a sua posição. De um lado militantes da extrema-esquerda alemã, em defesa dos refugiados. Do outro a extrema-direita, com militantes do movimento Pegida – Europeus Patriotas Contra a Islamização do Ocidente – em protesto contra os refugiados. </p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Meanwhile in <a href="https://twitter.com/hashtag/Germany?src=hash">#Germany</a>, cops who looked the other way during <a href="https://twitter.com/hashtag/Cologne?src=hash">#Cologne</a> New Year Attacks now hitting <a href="https://twitter.com/hashtag/PEGIDA?src=hash">#PEGIDA</a> demo hard. <a href="https://t.co/IFGglxs3MO">pic.twitter.com/IFGglxs3MO</a></p>— Varyagi (@varyagi) <a href="https://twitter.com/varyagi/status/685852929530662913">9 janeiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p><em>Protesto da extrema-direita alemã em Colónia</em></p> <p>Uma manifestação que se tornou violenta e que acabou travada pela polícia.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/Cologne?src=hash">#Cologne</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Pegida?src=hash">#Pegida</a> rally: No women screaming, crying, being sexually assaulted or raped, yet riot police spray crowd? <a href="https://t.co/zbZKfDqlj3">https://t.co/zbZKfDqlj3</a></p>— Mary Magdalen (@Gr8LakesCzarina) <a href="https://twitter.com/Gr8LakesCzarina/status/685842498892083204">9 janeiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">LIVE</span>: Arrests made at <a href="https://twitter.com/hashtag/PEGIDA?src=hash">#PEGIDA</a> demo and counter-protest in <a href="https://twitter.com/hashtag/Cologne?src=hash">#Cologne</a> <a href="https://t.co/PUcWFUsUSp">https://t.co/PUcWFUsUSp</a> <a href="https://t.co/jUID0iwBTw">pic.twitter.com/jUID0iwBTw</a></p>— RT (@RT_com) <a href="https://twitter.com/RT_com/status/685851682618609664">9 janeiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>