Última hora

Última hora

Airbus volta a bater Boeing nas encomendas e a perder nas entregas

A Airbus recebeu no ano passado encomendas para 1.036 aviões por um preço de catálogo de 153,8 mil milhões de euros, superando pelo quarto ano

Em leitura:

Airbus volta a bater Boeing nas encomendas e a perder nas entregas

Tamanho do texto Aa Aa

A Airbus recebeu no ano passado encomendas para 1.036 aviões por um preço de catálogo de 153,8 mil milhões de euros, superando pelo quarto ano consecutivo a rival norte-americana Boeing (6768 encomendas em 2015), mas com valores inferiores a 2014 (1456 encomendas da Airbus contra 1432 da Boeing).

A Airbus apresentou os seus resultados comerciais de 2015 esta terça-feira, revelando ter aumentado as entregas de aeronaves e com um novo recorde: 635 unidades, no valor de 84,5 milhões de euros. Neste capítulo, porém, a Boeing superou a roval europeia, concretizando a entrega de 762 aviões aos seus clientes.

O grupo europeu cumpriu o seu objetivo em termos de entregas aos clientes depois de já ter batido o seu anterior recorde em 2014, ano em que entregou 629 aeronaves. Dos 635 aviões entregues no ano passado, 491 corresponderam à família A320, de um só andar, a que se juntaram 103 de duplo andar da família dos A330, 27 do modelo A380 e 14 do novo modelo de longo alcance e capacidade média, os A350.

No que se refere a pedidos de encomenda, em 2015 a Airbus recebeu 1.036 pedidos, no valor de 153,8 milhões de euros, abaixo dos 1.456 de 2014. Em qualquer dos casos, estes resultados permitiram elevar a carteira global de pedidos da empresa europeia até 6.787 aviões, num valor de catálogo de 918,6 mil milhões de euros.

Este resultado comercial e industrial “prova de forma inequívoca que a procura global” pelos aviões da Airbus “manteve-se resistente”, afirmou o presidente do construtor aeronáutico, Fabrice Brégier. O responsável acrescentou que em 2015 a Airbus “também assentou fundações firmes para o futuro ao aumentar a sua capacidade e variedade de aviões”.

Fabrice Brégier assinalou igualmente que a Airbus inaugurou em setembro passado a sua primeira fábrica de assemblagem de aviões nos Estados Unidos, perto do Golfo de México, no Alabama, de onde sairão da sua cadeia de montagem entre 40 e 50 unidades da família A320 a partir de 2018.