Última hora

Última hora

GS de judo de Paris, dia 2: Mayra Aguiar leva ouro para o Brasil, português Jorge Fernando foi 7.°

Terminou este domingo, na capital francesa, o Grand Slam de Paris em judo. Angola, Brasil e Portugal representaram a lusofonia, com os sul-americanos a conseguirem cinco medalhas, uma de ouro.

Em leitura:

GS de judo de Paris, dia 2: Mayra Aguiar leva ouro para o Brasil, português Jorge Fernando foi 7.°

Tamanho do texto Aa Aa

Mayra Aguiar foi o grande destaque das três representações da lusofonia no Grand Slam de judo de Paris, que terminou este domingo. A brasileira conquistou o ouro na categoria de -78kg. De resto, Victor Penalber (-81kg) e David Moura (100kg) conquistaram mais dois bronzes para o Brasil, depois dos conseguidos sábado por Sarah Menezes e Rafaela Silva. Os sul-americanos mostram-se em grande forma para as olimpíadas do Rio de Janeiro, em que terão o apoio do publico da casa, em agosto.

Entre os portugueses, o melhor foi Jorge Fernando (-100kg), que terminou em 7.°. De resto, apenas Diogo Lima (-81kg) e Anri Egutidze (-81kg) chegaram ao segundo combate. A angolana Antónia Moreira (-70kg) também foi eliminada logo à primeira.

Quadro feminino

-70kg

A categoria mais leve deste domingo no quadro feminino (-70kg) fechou com uma final 100 por cento asiática. A sul-coreana Seongyeon Kim venceu a japonesa Haruka Tachimoto.

Medalha de ouro: Seongyeon Kim (Cor);
Medalha de prata: Haruka Tachimoto (Jap);
Medalhas de bronze: Gevrise Emane (Fra) e Sally Conway (RUn).

-78kg

Em -78kg, a portuguesa Yahima Ramires foi eliminada logo à primeira pela britânica Gemma Gibbons. Mayra Aguiar, por outro lado, venceu todas as adversárias, incluindo a campeã olímpica Kayla Harrison, na final, e conquistou a única medalha de ouro do Brasil e, porque não, de toda a lusofonia presente em Paris.

A Mayra venceu a Kayla Harrison por ippon e conquistou o ouro no Grand Slam de Paris!! Parab�ns, Mayr�o!! (Assessoria)#adidasbrasil #timepetrobras #marinhadobrasil #oisogipa #timemvp

Publicado por Mayra Aguiar em�Domingo, 7 de Fevereiro de 2016

Medalha de ouro: Mayra Aguiar (Bra);
Medalha de prata: Kayla Harrison (EUA);
Medalhas de bronze: Luise Malzahn (Ale) e Natalie Powell (RUn).

+78kg

Nos pesos pesados do quadro feminino, a brasileira Maria Suelen Altheman foi eliminada logo ao primeiro duelo, pela porto-riquenha Melissa Mojica. A compatriota Rochele Nunes chegou às meias-finais, falhou a final e ainda perdeu o duelo pelo bronze com a holandesa Tessie Savelkouls.

Numa final 100 por cento asiática, a japonesa Megumi Tachimoto venceu a chinesa Sisi Ma e estabeleu um novo recorde no numero de medalhas ganhas em torneios do Grand slam de judo. A nipónica já soma 14.

(A medalha de ouro de +78kg, Tachimoto Megumi,
tem agora o recorde de 14 medalhas em Grand Slams, incluindo 4 ouros em Paris.)

Medalha de ouro: Megumi Tachimoto (Jap);
Medalha de prata: Sisi Ma (Chi);
Medalhas de bronze: Tessie Savelkouls (Hol) e Marine Erb (Fra).

Quadro masculino

-81kg

Na categoria mais leve, em cena este domingo, no quadro masculino, o português, natural da Georgia, Anri Egutidze, de apenas 19 anos e a estrear-se em competições deste calibre, foi eliminado ao segundo combate pelo letão Konstabtins Ovchinnikovs. Diogo Lima também caiu ao segundo combate, diante do iraniano Saeid Mollaei.

O brasileiro Victor Penalber subiu ao podio para receber um dos bronzes, ganho diante do russo Alan Khubetsov. A final sorriu ao georgiano Avtandii Tchrikishvili, que derrotou o búlgaro Ivaylo Ivanov.

Medalha de ouro: Avtandii Tchrikishvili (Geo);
Medalha de prata: Ivaylo Ivanov (Bul);
Medalhas de bronze: Victor Penalber (Bra) e Ki-Chun Wang (Cor).

-90kg

Em -90kg, o português Tiago Rodrigues foi eliminado logo na estreia, diante do israelita Li Kochman. Na mesma “pool B”, o brasileiro Eduardo Bettoni chegou aos quartos-de-final, mas teve de se contentar com a repescagem, terminando em 7.° ao perder com o coreano Dong Han Gwak.

Na final, o japonês Daiki Nishiyama conseguiu alhear-se do ambiente adverso e venceu o anfitrião Alexandre Iddir.

Medalha de ouro: Daiki Nishiyama (Jap);
Medalha de prata: Alexandre Iddir (Fra);
Medalhas de bronze: Varlam Liparteliani (Geo) e Dong Han Gwak (Cor).

-100kg

Em -100kg, o brasileiro Luciano Correa foi eliminado ao segundo combate no duelo contra o mongol Tuvshinbayar Naidan. O português Jorge Fernando perdeu nos quartos-de-final com Maret Cyrille, foi repescado mas falhou o acesso à discussão pelo bronze ao perder diante do holandês Michael Korrel.

O carrasco do português nos “quartos” chegou à final e foi o responsável pela maior festa que se fez sentir nas bancadas. Cyrille Maret venceu o canadiano Kyle Reyes e fez ouvir pela segunda vez neste grand Slam o hino da França.

Medalha de ouro: Cyrille Maret (Fra);
Medalha de prata: Kyle Reyes (Can);
Medalhas de bronze: Karl-Richard Frey (Ale) e Aaron Wolf (Jap).

+100kg

Nos pesos pesados, os brasileiros David Moura e Rafael Silva foram os representantes da lusofonia. Silva foi derrotado ao segundo combate pelo georgiano Levani Matiashvili. Moura chegou aos quartos-de-final, onde acabou derrotado pelo japonês Ryu Shichinohe.

Repescado, David Moura acabou por conquistar, diante do carrasco do compatriota, Matiashvili, uma das medalhas de bronze da categoria. Na final, triunfo para o japonês Hisayoshi Harasawa diante do israelita Or Sasson.

Medalha de ouro: Hisayoshi Harasawa (Jap);
Medalha de prata: Or Sasson (Isr);
Medalhas de bronze: David Moura (Bra) e Roy Meyer (Hol).

A imagem do dia

O ippon conseguido pelo francês Alexandre Iddir, nos quartos-de-final, diante do favorito Varlam Liparteliani foi um dos momentos mais espetaculares deste segundo dia. O georgiano tinha-se colocado em boa posição para fechar o duelo com o waza-hari, mas a 3 segundos do final, Iddir conseguiu um espetacular golpe que lhe valeu a presença nas meias-finais.

Prestação portuguesa dececiona selecionador

O treinador da seleção portuguesa de Judo, João Pina, ficou dececionado com a representação portuguesa em Paris. Ainda assim, o antigo judoca considerou o resultado de Jorge Fonseca “como uma medalha”.

“Em termos globais, não podemos estar satisfeitos, queremos sempre mais. Mas deste domingo fica um aspeto muito positivo: este sétimo lugar do Jorge. É isso que quero salientar. Depois de uma grande paragem, de uma lesão complicada, chegar aqui a Paris e conseguir um sétimo lugar, e lutar como lutou, é como se fosse uma medalha”, afirmou João Pina, à Lusa.

O treinador sublinhou que é preciso “ter a noção da qualidade desta competição, principalmente neste fim de semana”, considerando que foi “uma competição com um nível altíssimo e por isso não era uma tarefa fácil”.

Anri Egutidze, com 19 anos e pela primeira vez numa competição deste nível, assumiu-se “muito triste” após a derrota contra Konstantins Ovchinnikovs. “Claro que estou muito triste. O combate foi um bocado desequilibrado. O árbitro dava castigo só para mim, não dava para ele. Eu também não atacava muito, mas ele não fez nenhum ataque. Se eu perdesse porque ele era muito mais forte que eu, era uma coisa, mas eu dominava pegas”, lamentou o jovem português oriundo da Geórgia.

No sábado, Joana Ramos tinha obtido o melhor resultado luso na competição parisiense, com o sétimo lugar em -52kg, enquanto Ana Cachola (-63kg), Sergiu Oleinic (-66kg) e André Alves (-73kg) não foram além da nona posição.

O torneio decorreu sem Telma Monteiro (-57kg) que, a 17 de outubro de 2015, conquistou a medalha de ouro no Grand Slam de Paris, nem Célio Dias que, a 18 de outubro, conseguiu o bronze para Portugal no mesmo recinto